Qual influenciador você escolheria?


As empresas escolhem a dedo os seus influenciadores. Quer ver?

Vamos combinar que é comum ouvir e dizer que a criança segue o exemplo do pai ou da mãe, não é mesmo? Afinal, o filho enxerga neles os seus primeiros, e talvez mais importantes, ídolos para toda a vida. Mas a gente vai crescendo e, com isso, encontra outras pessoas referências, como amigos, professores, colegas de trabalho e mentores, entre outros.

Há também aqueles que a gente nem conhece de perto, mas em quem confiamos por algum motivo, ainda que nem saibamos por quê. Pode ser por lhes admirarmos profundamente pelo que fazem ou pelo que eles são ou apenas por termos alguma simpatia. Uma conexão, de qualquer tamanho.

É nisso que as empresas pensam quando escolhem seus influenciadores, seja um garoto-propaganda, um embaixador da marca, um famoso para a peça publicitária ou ação de merchandising e por aí vai, até chegar ao mundo digital.

Ainda que vivamos em um tempo onde celular, aplicativos, mídias sociais e conectividade, entre outros muitos termos, são personagens protagonistas para grande parte da sociedade, a coisa é muito nova. Nesse cenário digital, tem muita gente desconhecida fazendo sucesso. Mas como assim desconhecida?

influenciadores-de-marca

Vamos ajustar o raciocínio. São pessoas que carregam milhares de fãs na bagagem, mas que, por outro lado, muita gente nunca ouviu falar. Não é a mesma coisa de ator famoso de novela, de filme. Os meios se multiplicaram muito, e com essa descentralização ficou mais difícil saber de tudo, de todos.

Isso acontece na música também, como em outros muitos setores. Cada vez mais gente “famosa” que “ninguém conhece”.

Mas vejamos que nem tudo é dessa forma. Entre os “famosos desconhecidos” da internet tem muita gente se destacando. E as empresas estão de olho nas oportunidades que essas pessoas oferecem para as suas marcas.

Refrigerante – Veja a Coca-Cola. A empresa patrocinou a Olimpíada e, obviamente, esteve presente em ações do revezamento da tocha olímpica, que percorreu cerca de 20 mil quilômetros por todo País. O emblemático Urso da Coca-Cola também participou, ao lado de youtubers, pessoas famosas que divulgam seus vídeos no YouTube ou que ficam famosas por isso e se tornam influenciadores.

Mas como? O Urso?

Isso mesmo, a ideia da empresa foi unir esses influenciadores para que os fãs deles tivessem a chance de acompanhar de perto a experiência.

Participaram influenciadores “conhecidos”, como Bruna Vieira, Lucas Rangel, Felipe Castanhari, T3ddy, Carlos Santana, Pathy dos Reis, Júlio Cocielo, Mauro Nakada, Chris Figueiredo e Becca Pires.

Os momentos dos bastidores dessa road trip, como foi chamada a iniciativa, foram mostrados por meio de um site especial (issoeouro.cocacola.com.br) e por meio das redes sociais Instagram, Snapchat, Facebook e Twitter.

Banco – Da geladeira para a bolsa, vamos mudar de área na reflexão. O Itaú também entrou nessa. A direção de incluir influenciadores em sua comunicação. Sabe aquele comercial em que a marca desafiou as amigas de 60 anos Lilia e a Neuza a viverem uma tarde 100% digital, cheia de selfies, zapzaps e apps? Então, o banco preparou várias versões do #ChaDigitau (nome que a ação recebeu e que une ‘digital’ com ‘Itaú’) com influenciadores – Christian Figueiredo, Tavião, Pathy dos Reis e Kéfera.

Viu só como a marca achou um jeito maneiro de falar com o público jovem?

Agora, pra finalizar, pode-se pensar de ponta de língua alguns pontos-chaves que favorecem a escolha de determinados influenciadores, como a relevância que eles têm, o público que alcançam e de que forma alcançam, que valores trabalham, que linguagens usam. E por aí vai.

Como escolhem? As marcas geralmente não fazem isso sozinha; para decidirem os personas influenciadores com quem vão negociar, elas contam com o auxílio de suas agências de publicidade parceiras.

Uma das formas de fazer isso é ler o cenário por meio das ferramentas de monitoramento, que, aliás, temos aqui na Cadaris.

A especialista em marketing digital Martha Gabriel, bastante conhecida nessa área, fala disso e reforça a importância de monitorar. Assista a esse vídeo abaixo, é rapidinho, pouco mais de um minuto!

Mas o que mais pode ser importante nesse sentido? Vamos lá, esperamos a sua reposta, participe do nosso post na fanpage!