A importância das cores na comunicação visual!


Toda comunicação visual transmite sensações. Para aumentar as chances de sucesso, nós precisamos saber que tipo de sensações queremos produzir com o material. É aí que entramos, também, com a teoria das cores.

Sabemos que a cor é assimilada pelo ser humano por meio da visão. Entre os nossos sentidos, a visão é a que passa a informação mais rápido para o cérebro. É importante saber que, ao escolhermos uma cor para trabalhar, estamos lidando com um elemento que estimula o nosso cérebro, que é um processador de informações. Por isso, a escolha da cor é muito importante, pois esse estímulo visual causado pode ser tanto positivo quanto negativo. Cuidado!

Dicas:

Se eu pudesse dar uma dica para você escolher a sua cor, diria para não arriscar muito e buscar referências. Outra coisa, é sempre bom usar poucas cores, com paletas parecidas que combinam e conversam entre si e sempre que possível respeitar os significados de cada uma, sim, isso mesmo, cada cor tem um significado. Seguem abaixo os significados de algumas cores e o impacto psicológico que elas podem causar.

61e880491d683eb02973bd011d8a87c9

Um exemplo que deixa claro a importância do uso das cores vem do McDonald’s. Quase tudo lá dentro possui cores quentes, como vermelho, amarelo e laranja, isso é tudo proposital, pois se trata de uma rede de fast-food, onde o intuito é vender e fazer o cliente comer e logo sair. Você não consegue ficar muito mais que 30 minutos dentro de um ambiente assim, somos obrigados a ficar olhando para essa cores que nos causam calor, ansiedade, angústia, até você não aguentar mais e ir embora.

Se você já sabe que tipo de sensação quer transmitir, mas ainda tem dúvidas em relação ao tom da cor ou qual paleta usar, não se preocupe, pois existem vários sites e blogs que combinam cores para manter uma simetria e aparência visual bonita. Podemos usar esses sites como referência e inspiração. Veja uma referência legal para atingir essa combinação desejada: AQUI

Essas são apenas algumas dicas que pensei que podem auxiliar você a identificar a paleta de cores ideal para a sua comunicação. Fique atento às dicas, pense sempre na sensação que deseja transmitir, escolha as cores usando as referências e sucesso nas criações! Ah, se precisar de ajuda, fale com a gente!

Por: Raphael Richard

 

Poupe tempo, pegue um atalho


O tempo é uma das coisas mais valiosas que temos. Isso nem precisa explicar, mas vamos pensar um pouco sobre isso. Será que podemos enganá-lo e usá-lo a nosso favor? Sim. Basta usar o atalho!

Por exemplo, ver a previsão do tempo e saber como você vai sair vestido de casa, consultar o Waze para saber o caminho mais rápido, descer de escada em vez de esperar o elevador. Coisas simples do nosso cotidiano, mas que são nossos atalhos do dia a dia para buscar tornar tudo mais fácil e prático.

Aqui na agência, é muito importante saber administrar o tempo para que o resultado do trabalho seja significativo. E é nessa hora que o atalho é indispensável. Além de você ter o conhecimento sobre as funções dos softwares que você usa todo dia, o atalho é fundamental para o seu desempenho.

A gente poupa tempo executando e converte esse ganho em descobrir coisas novas, pensar melhor no job em questão, avaliar o cenário… e, claro, dá pra fazer um almoço mais tranquilo pra mente.

Poupe-tempo-pegue-um-atalho

Veja AQUI para conhecer os atalhos mais usados dos principais programas que a área de criação mais utiliza.

Aliás, você sabia que nos programas também dá para criar seus próprios atalhos? Tipo quando a gente muda o caminho e chega mais rápido do que o Waze estava prevendo ;)

Se quiser saber mais, é só perguntar!

Por Maurício Trentini Stoppa

O filme destaque do mês


NiseNise – O coração da loucura

Não sabia nada sobre Nise da Silveira (1905-1999) ao assistir o trailer do filme que despertou meu interesse. E quando ele estreou, lá estava eu!

Expectativa correspondida. Um ótimo filme de uma pessoa admirável com uma história incrível. Daqueles filmes baseados em fatos reais que você mal sai da sala e já está no Google procurando por mais informações.

O filme começa com Nise, no pós-cárcere, retornando às suas atividades médicas no Centro Psiquiátrico Pedro II, no bairro do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, e se deparando com os tratamentos de lobotomia e eletrochoque como técnicas mais avançadas no tratamento psiquiátrico. Chocada com aquilo, ela se recusa a adotar tais práticas e é isolada pelos médicos, lhe restando trabalhar com a terapia ocupacional, que era então um setor abandonado onde os pacientes ficavam praticamente largados o dia todo.

Lá, Nise adota práticas humanistas por meio da arte e do amor. No lugar do “picador de gelo”, ela usava pincéis, tintas, argila, cães e gatos. Pacientes que até então eram tidos como casos perdidos e viviam incomunicáveis começam a se expressar por meio das pinturas e esculturas.

Baseando-se nos estudos de Carl Jung (com quem ela se corresponde, enviando algumas obras de seus “clientes” e recebendo o retorno de Jung), ela transforma o setor de Terapia Ocupacional em um Atelier de Arte.

A direção de Robert Berliner amarra muito bem todos os acontecimentos, retratando a história de maneira emocionante e sensível sem cometer excessos. Some-se a isso um elenco excelente encabeçado por Glória Pires, certeira no papel principal, e temos o resultado de um ótimo filme representando o cinema brasileiro!

O filme ainda está em cartaz em diversos cinemas e, se você ainda tem algum preconceito com filmes nacionais (não, definitivamente, não deveria), essa é uma ótima oportunidade de mudar o seu conceito.

Assista o trailer:

Curiosidade: O filme conta apenas uma parte da história incrível dessa mulher que foi Nise da Silveira. Saiba mais sobre ela AQUI.

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 5 guitarrinhas!

 

O assunto é arte. Grafitar faz parte?


Graffiti - Blog

Que o graffiti está conquistando cada vez mais seu espaço não é novidade. Basta analisarmos os muros da cidade e logo percebemos suas cores e expressões. De início, os grafiteiros passaram a se apropriar do espaço público transmitindo mensagens de cunho social, cultural e, sobretudo, artístico. Atualmente, deparamo-nos com um cenário em que os graffitis estão presentes não só em ruas, mas também migram para ambientes fechados.

O graffiti é encarado como uma forma de expressar principalmente a opressão de várias minorias presentes na sociedade. O fato de algumas pessoas não o considerarem uma arte, mas sim vandalismo, gera grandes discussões sobre o assunto.

Particularmente, eu o considero uma arte. Ele rompe com a ideia de que há um lugar específico para a arte, pois dialoga com a cidade toda. E, positivamente, gera uma democratização da arte. Hoje, é possível enxergarmos produções de graffiti não só nos muros da cidade, mas também em trabalhos encomendados (ambientes internos de casas, empresas, etc.) e até mesmo em museus e galerias de arte.

Ainda assim, em ambientes externos, a luta incessante com obras que acabam sendo apagadas é um dos desafios impostos aos grafiteiros. O documentário Cidade Cinza, de Marcelo Mesquita e Guilherme Valiengo, aborda o embate entre artistas de rua e o poder público, que visa combater a poluição visual na cidade de São Paulo.

É possível encontrarmos diversos graffitis expostos nos muros de SP. Tanto pelas ruas da cidade, como também em lugares mais específicos, por exemplo, o conhecido “Beco do Batman”, localizado na Vila Madalena, que atrai diversos moradores da cidade, turistas, fotógrafos e amantes da arte.

Salão Duas Rodas 2015 e o poder da pesquisa de campo


02_E-marketing

Uma das partes fundamentais para o desenvolvimento de um novo projeto é a pesquisa. Este será o primeiro passo para chegar aonde todos querem: cliente satisfeito com seus objetivos alcançados e agência feliz e orgulhosa com o bom material que desenvolveu. A história da Cadaris com o Salão Duas Rodas (SDR) está dentro deste contexto.

Desde o início, em outubro de 2014, este trabalho cativou a equipe. Uma concorrência baseada no conceito criativo vindo de uma só palavra: liberdade. O diferencial que definiu a agência ganhadora (no caso, nós. Uhuu!) foi a base na qual estava fixada a ideia. Ou seja, a mensagem que pretendíamos passar por meio do slogan que criamos.

Para construir um storytelling de acordo com a experiência oferecida pelo SDR – tanto para quem busca de novos negócios quanto para apaixonado por motos e afins – fomos à fonte. Conversamos com motociclistas para entender o que significa liberdade neste universo e funcionou bem.

Com o slogan “O Mundo em Suas Mãos” demos andamento a todo o projeto que abrangeu tanto arte quanto texto nos materiais impressos da feira (de divulgação e exposição) e on-line, incluindo mídias sociais e-mail marketing.

Com uma linha conceitual muito bem traçada, o maior desafio foi conseguir adaptá-la à realidade dos três públicos do SDR: expositores, trade (varejo) e o motociclista. Tudo isso somado ao longo período de campanha: um ano de trabalho em parceria com o cliente até a realização do evento, passando pelas fases de vendas de espaço para expositores, convite para os varejistas e venda de ingressos para o grande público.

Segundo Fred Pimenta, nosso diretor de arte, apesar da agência já ter trabalhado com muita coisa grande, esta foi a primeira vez que encarou uma campanha que durou um longo período, o que exigiu ainda mais criatividade. “Em cima do conceito já muito bem estabelecido, tivemos de trabalhar em novas ideias para não ‘cansar’ o público com as mesmas peças”, conta.

Novas propostas de materiais foram surgindo ao longo do caminho e neste percurso surgiram novidades. Uma das coisas foi a criação de roteiro de spot para propagando em rádio e TV, trabalhado pela agência pela primeira vez. Para assistir, clique aqui.

E para ver um pouco mais dos materiais produzidos para o SDR 2015, acesse o Facebook da feira: facebook.com/SalaoDuasRodas.

‘Tinder’ para criativos: encontre o dupla perfeito


adnews-19834177951443638695764dd8e39e10e604e1df4ac7589e31116841f85f (1)

Já pensou encontrar sua cara metade da criação? Calma. Essa pergunta não tem conotação romântica, ok? Acontece que a escola de criação Cuca acaba de lançar o Creatinder, aplicativo que visa ajudar diretores de arte e redatores a se encontrarem para formar a dupla de criação ideal, de acordo com seus interesses profissionais.

O funcionamento do Creatinder se assemelha ao do popular aplicativo de relacionamentos Tinder. No perfil, em vez de fotos pessoais e descrições sobre a vida particular, o usuário publica trabalhos de seu portfólio e descreve suas experiências e objetivos profissionais.

Diferente do Tinder, que abre um chat no próprio aplicativo ao acontecer um “match” entre usuários que tenham afinidades, no Creatinder as pessoas recebem os dados de contato um do outro, ficando responsáveis por iniciar um bate papo fora da plataforma.

Demais, né? O Creatinder já está disponível para plataformas Android e ganhará em breve uma versão para o iOS.

Fonte: AdNews

Protex na Revista da APM


02_Anuncio-Protex01

No último mês, a Cadaris desenvolveu dois anúncios para a marca Protex que serão publicados na Revista da APM (Associação Paulista de Medicina). Um deles anuncia aos leitores os benefícios dos sabonetes Protex, indicado a toda família, e o outro apresenta o Protex Cuidado Íntimo, um dos mais recentes produtos inseridos no mercado pela marca.

Por ter profissionais específicos como público-alvo – médicos dermatologistas – foi necessário incluir uma grande quantidade de informações técnicas que mostram as vantagens e benefícios dos produtos. Aplicar este conteúdo com clareza respeitando a comunicação geral da marca foi um grande desafio.

Grandes marcas, como é o caso de Protex, mantêm alguns parâmetros em seus materiais de divulgação, o que garante sua identificação pelo público. Assim, na maioria dos casos, os briefings trazem bastantes especificações. Porém, engana-se quem pensa que este é um fator que limita a criação.

Segundo o diretor de arte da Cadaris, Fred Pimenta, o trabalho será direcionado na criação de detalhes, diferentes tipos de aplicação de elementos que trarão frescor à peça. “É muito legal quando, dentro de um padrão já bem estabelecido, a gente consegue colocar um detalhe novo que é aprovado. Às vezes isto é tão satisfatório quanto uma criação do zero.”

Documentários para inspirar artistas e designers


documentaries-designers-644x373

Documentários que falam sobre criação e pessoas criativas e inovadoras também podem ser uma ótima fonte de inspiração para quem faz coisas incríveis no seu dia a dia. Pensando nisso, o site Make Use Of fez uma lista de documentários imperdíveis para artistas e designers. Veja abaixo as dicas e clique nas imagens para ver os trailers (todos em inglês):

Helvetica (2007)

helvetica

Este documentário conta a história da fonte que é praticamente onipresente e tem dominado a cultura visual do mundo por mais de 50 anos. O filme vai aos bastidores e examina as origens e a proliferação da Helvetica, com base no início do padrão tipográfico internacional, nos anos 50. Além disso, mostra como a tipografia está em vários detalhes que às vezes não percebemos em nosso cotidiano.

Objectified (2009)

objectified

Os objetos que nos rodeiam podem nos ensinar muito e são cheios de história. Objectified é um documentário sobre como a engenharia pode seguir tendências de design, com produtos úteis, funcionais e esteticamente belos. Do mesmo diretor de Helvetica, Gary Hustwit, este filme também mostra o que há por trás de vários objetos e fala um pouco sobre as pessoas que os criam e seus processos criativos. Pode ser visto gratuitamente no Documentary Heaven, aqui.

The Artist Series (2008)

the artist series

Nada melhor para entender o design que saber o que designers e artistas conhecidos pensam sobre tudo o que está relacionado à área. O diretor Hillman Curtis, em uma série de documentários curtos, nos convida a fazer uma visita a grandes nomes do design e ilustração. Há muito a aprender em conversas com nomes como Malcolm Gladwell, James Victore, Paula Scher, Stefan Sagmeister, Milton Glaser, e a famosa agência de design Pentagram. É possível assistir a tudo gratuitamente no site oficial, aqui.

Beautiful Losers (2008)

beautiful losers

Este é um documentário sobre não-conformismo. Ao mostrar subculturas underground como o skate, o grafitti, o punk rock e o hip hop, o filme é claro em sua intenção de atrair a identificação de pessoas que não se encaixam no padrão criativo do mercado. O pensamento chave de Beautiful Losers é: “Make something from nothing” (Faça algo que vem do nada). Isso traduz bem a ideia dos artistas que são mostrados no filme. Eles não têm a intenção de fazer sucesso e sim de seguir sua arte e criar algo que tenha um significado para si e para os outros.

Making it (2009)

making it

Ser ilustrador em início de carreira não é fácil. Este documentário foca na luta diária de quem segue esta carreira e em como conseguir equilibrar o amor pela ilustração e a necessidade de pagar as contas para sobreviver. Os três criadores Eric Fortune, Andrew Bawidamann, and Brian Ewing falam sobre seus estudos, seus modelos de negócio e também de como veem o futuro da ilustração no mundo. A resposta que eles buscam ao longo do filme é: o que “chegar lá” significa para cada artista?

Art & Copy (2009)

art copy

Este documentário aborda, de uma forma mais geral, o contexto emocional que está por trás de uma grande peça publicitária. Nele há as histórias de campanhas icônicas como “Just Do It”, “I Love NY”, “Where’s the Beef?”, “Got Milk”, “Think Different”, e as pessoas que as criaram. A mensagem aqui é que qualquer pessoa poderia abandonar a mediocridade e se superar em sua área.  É possível assistir grátis no Vimeo (link na imagem acima).

 

Teaching To See (2012)

teaching to see

Este é um curta-metragem sobre aprender a visualizar para conseguir criar um design. O filme oferece um grande resumo objetivo sobre a importância do olhar para quem cria peças visuais. A aclamada professora e designer Inge Druckrey dá uma aula de sabedoria quando diz que é importante ter tempo para ver e enxergar o que está em cada coisa, o que é preciso e o que é possível. No link da imagem ele está disponível inteiro e é gratuito.

 

Milton Glaser: To Inform and Delight (2009)

inform and delight

Para capturar a essência do artista e desenhista Milton Glaser, o filme acompanha sua vida desde a infância e captura seu grande talento nato. Por sua influência no design, ele é considerado um dos grandes renascentistas modernos. A ideia do filme é mostrar, com base na vida e obra de Glaser, que o propósito da arte é informar e encantar.

 

Frida Kahlo no Instituto Tomie Ohtake


frida_kahlo-3

São Paulo recebe, de 27 de setembro a 10 de janeiro de 2016, a megaexposição ”Frida Kahlo – conexões entre mulheres surrealistas no México“. A mostra desembarca no Instituto Tomie Ohtake (mesmo lugar que recebeu Salvador Dalí as obras de Joan Miró) com 20 obras da artista.

O ingresso para conferir a exposição custa até R$ 10 (às terças, a entrada é livre) e pode ser adquirido antecipadamente pelo site da Ingresse (clique aqui), pelo app do Instituto Tomie Ohtake ou diretamente na bilheteria (crianças de até 10 anos não pagam). A dica é garantir o seu o quanto antes.

Frida Kahlo

Além de contemplar a vida artística da pintora mexicana Frida Kahlo (1907 – 1954), a mostra também presenteia o público com pinturas de Maria Izquierdo, Remedios Varo, Lenora Carrington e outras artistas mexicanas.

Depois de passar pela capital paulista, a exposição segue para Rio de Janeiro e Brasília. As datas ainda não foram definidas, mas já vale saber que a Frida vai dar o ar da graça em outras cidades.

Fonte: Catraca Livre

Você sabe o que é anúncio tipográfico?


Aposto que você já reparou nesses anúncios. E achou supermodernos, né? As letras e palavras geralmente são usadas para complementar uma peça publicitária, com mensagens que completam o visual da peça.

Mas isso não é uma regra, as letras podem também protagonizar as propagandas, usando os tipos não como letras e sim como imagens, desenhos que tem um significado além da simples linguagem textual. E quando criamos um anúncio ou peça publicitária com esses elementos, o chamamos de Anúncio Tipográfico.

Olha só alguns exemplos:

 

 

anuncio-tipografico-06

 

20-anuncios-tipograficos-creativos-L-HNDdTi

creative-typographi-ads-001