• .
  • .
  • .
  • .
  • .

Como engajar a audiência com vídeos?


download

Você já deve ter percebido que, depois das selfies, a publicação de vídeos é a febre do momento na internet. Tem de tudo, de gracinhas de bichos de estimação e bebês a pessoas que ensinam algo ou fazem denúncias.

De acordo com um levantamento feito pelo Facebook, em 2014 os usuários publicaram diretamente na plataforma 75% mais vídeos do que no ano anterior. A incrível expansão de 360% é a prova de que essa forma de comunicação caiu no gosto popular.

E as marcas, já bastante atentas a essa tendência, utilizam o recurso em peças publicitárias online como solução mais interativa e atrativa. Segundo dados coletados pela ferramenta Video Metrix, da ComScore, o investimento em vídeos online duplicou nos últimos dois anos e esse número vai continuar a crescer. A pesquisa aponta ainda que 36% dos vídeos vistos em celulares, tablets ou televisões também veiculam anúncios.

Veja a seguir algumas dicas que podem te ajudar a obter um maior engajamento na sua página:

 

Tamanho do vídeo

Vídeos curtos não resultam, necessariamente, em uma performance superior aos longos – isso depende de como a peça é feita, vale lembrar que ela não pode ser cansativa.

 

Interação com o usuário

Quanto mais interativo, melhor! Um exemplo são aqueles vídeos onde o usuário pode “brincar” no banner e passar para algum outro trecho e mudar para outro no mesmo espaço.

 

Auto-play

O auto-play não prejudica o desempenho do vídeo, como muitos podem pensar. São vídeos que passam automaticamente ao abrir a tela e a taxa de rejeição é baixíssima – em média, até 90% dos usuários continuam a assistir ao vídeo depois do início dele.

 

Target da campanha

Acertar o target da campanha é fundamental. Um vídeo bom não é nada se não for exibido para o público correto e, caso seja apresentado fora do target, a taxa de rejeição sobe consideravelmente para 60%.

 

Os primeiros segundos

Os três primeiros segundos de um vídeo são essenciais para a campanha. Nesse período, a peça deve prender o usuário, interagir com ele da forma certa e fazer com que assista até o final da exibição.

 

Vídeos com música

Vídeos que possuem uma música ao fundo têm, em média, uma taxa de aceitação 25% maior. Mas a a música deve ser pensada estrategicamente para que tenha a ver com a campanha e incentive a interação com o público-alvo, por exemplo.

 

Fonte: Proxxima

Saiba como ver a 1° experiência vídeo Double-Screen do mundo


david-guetta-double-screen-video-2

Tudo começou com uma promoção. A ideia era promover a marca de Champagne G.H. Mumm e o mais novo single Dangerous, do fenômeno mundial David Guetta. A parceria entre ambas as marcas foi o passo certeiro para um grande surgimento: o primeiro vídeo Double-Screen do mundo.

O resultado disso é uma experiência digital inimaginável para o expectador que, por meio de um smartphone e de um computador, tem a oportunidade de assistir e curtir, de uma forma completamente nova, um videoclip. E para quem pensa que para isso é necessária uma tecnologia pra lá de avançada, engana-se.Basta ter um browser atualizado e uma rede WiFi (ou 4G).

david-guetta-double-screen-video

Quer tentar? Então, clique aqui e siga algumas orientações.

 

Gafes nas mídias sociais: é bom tomar cuidado!


Gafe-Online

Quando se trata de colocar uma marca nas mídias sociais é preciso estar sempre atento, pois pequenos deslizes podem se tornar um enorme estrago. O trabalho do social media serve para potencializar a comunicação entre a marca e seus seguidores, e alguma gafes podem fazer exatamente o contrário.

Por isso, não basta apenas ter uma página ativa nas redes sociais. É preciso dedicação. Entre as gafes mais críticas estão: falta de atualização constante na página, não ouvir o cliente, agir com rispidez, perder o timing de um post e não revisar os textos publicados. Todas estas coisas podem derrubar o trabalho de um social media. Seguidores não perdoam alguns vacilos que logo se espalham pela rede e viram notícia. É questão de minutos para que a “escorregada” seja visualizada por milhares de pessoas.

A linha entre a ousadia e o excesso é tênue. Algumas marcas apostam na linha despojada e bem humorada e o efeito é positivo, mas outras podem não se dar tão bem neste caminho. É preciso tomar cuidado na abordagem de alguns assuntos. Temas polêmicos podem ser úteis para alavancar as curtidas e o compartilhamento, mas podem ser um grande risco. Por exemplo, temas que mexem com o emocional de um público específico. O futebol pode ser um exemplo, assim como o racismo, que gera grandes discussões.

O primeiro cuidado ao trabalhar com uma marca nas mídias sociais é a escolha do profissional que irá gerir as páginas. Estes meios são as vitrines da marca que estão mais próximas dos consumidores, são canais de comunicação direta. Também é preciso que toda a equipe esteja alinhada quanto aos objetivos nas mídias sociais para não haver postagens que fujam da linha estipulada e que até cometam as gafes citadas.

Outra coisa: não tente enganar os seguidores. O público das redes sociais está sempre atento a tudo o que acontece no mundo online e, consequentemente, fora dele. Portanto, é importante ser transparente e sincero. Podemos citar aqui o exemplo da marca Bom Negócio que usou uma imagem de banco dizendo ser de uma cliente real.

bomnegocio

Quanto às reclamações reportadas por consumidores em páginas online, é importante ter discernimento para responder (sempre) com educação e estar disposto a resolver o problema. Nada de brigas online!

Fonte: Ad News.

Dicas para organizar o trabalho com o Evernote


Evernote

Não sei se você reparou, mas o Evernote tem uma série de recursos que podem ser usados para  pesquisa e escrita de posts e textos jornalísticos, além de também ser capaz de deixar suas reuniões mais produtivas.

Como? Ainda não tinha reparado nesses pontos positivos? Então veja algumas dicas rápidas que podem te ajudar (e muito) no seu dia a dia!

Cadernos de Negócios

Ao ingressar no Evernote, os usuários são capazes de criar blocos de notas profissionais para facilitar o compartilhamento com os colegas, que podem ser publicados na Biblioteca do Business e compartilhados ou modificados por administradores.

Compartilhamento aprimorado

O Evernote permite que funcionários compartilhem informações importantes com a equipe, com departamento específico, com toda a empresa ou com clientes externos. É simples definir permissões, e, se um funcionário sair da empresa, suas notas pessoais o acompanharão, enquanto que as notas profissionais permanecerão, possibilitando continuidade do conhecimento construído.

Organizando as ideias

A inspiração pode chegar a qualquer momento e em qualquer lugar, por isso, reúna todas as suas ideias no caderno “Ideias” e o compartilhe com a sua equipe para que todos possam contribuir.

Comunique-se sem e-mail

Reduza a avalanche de e-mails por meio da colaboração com os membros de sua equipe, fornecedores e clientes nos Cadernos Compartilhados. Os colegas podem facilmente marcar documentos e imagens para reduzir desentendimento e agilizar as conversas.

Recursos Offline

Às vezes, ficar longe do ambiente rotineiro traz uma nova inspiração. Trabalhe em uma mesa diferente, saia para um café ou passe uma tarde no parque. Com os Cadernos Offline, você pode levar o Evernote com você no seu dispositivo móvel ou tablet para que continue a trabalhar, ainda que não tenha acesso à internet.

Fonte: Comunicadores

A nova rede social das empresas. Será que vai pegar?


logo_editado

O Facebook começou a testar uma rede social voltada para ambientes corporativos e privada, o Facebook at Work. O objetivo é promover uma conexão entre os funcionários da empresa no novo ambiente virtual. O teste da nova versão está sendo feito por empresas parceiras e logo deve ampliar o seu alcance.

A nova rede será uma versão fechada do Facebook, na qual apenas os funcionários de uma empresa terão acesso. Imagine só as grandes companhias mundiais criando sua própria rede e colocando em contato funcionários que estão ao redor do mundo.

O visual é extremamente parecido com o Facebook normal, e este pode ser um dos benefícios das empresas adotarem a nova rede: não é preciso nem que os funcionários se adaptem. O aplicativo já pode ser encontrado nas lojas dos sistemas iOS e Android, ainda que não funcionem para o grande público.

facebook-work

A nova versão da rede social não pretende competir com o Google ou a Microsft dentro das empresas, e nem mesmo vai atingir o Linkedin, segundo informações do site Exame.com. Isto porque não está nos planos funcionalidades como o Google Docs ou editores de texto e planilhas compartilhadas. E também não será possível o contato entre funcionários de empresas diferentes. Será apenas uma rede interna.

Por enquanto, sabemos pouco sobre a nova rede. Mas já fico pensando: será que vai pegar? Será que vamos ter ainda mais uma rede social para gerenciar ainda que seja profissional?

Festival de Comida de Rua e Cervejas Artesanais


picoleteria

Alguma dúvida de que os food trucks caíram no gosto popular? Eu não tenho nenhuma. Se você também é desses que adora comida sobre rodas não pode perder o festival de comidinhas e cervejas artesanais que acontecerá neste fim de semana, 17 e 18 de janeiro, das 12h às 21h, no Pavilhão Imigrantes.

A entrada custa até R$ 25, mas o site Catraca Livre divulgou que quem é leitor assíduo da página deles paga apenas R$ 10 no ingresso (mas você vai precisar acessar o site e mostrar a matéria original). Além dos quitutes e delícias gastronômicas, o festival vai oferecer workshops sobre cervejas e food truck, sorteios e brindes. Para quem tem crianças, haverá um espaço reservado para os pequenos. Isso tudo sem falar na apresentação de diversas bandas.

Anote o endereço:

Rua Itaguara, s/n

Cidade Vargas – Sul

São Paulo

Só para dar aquela aguinha na boca, veja abaixo algumas das maravilhas que vão pintar por lá!

burritos_bravo

copo_de_chocolate_com_creme_de_ferrero_rocher_-_candy_truck

 

so_coxinhas_divulkgacao

 

Fonte: Catraca Livre

Dicas do Facebook para social media no Carnaval


d_carnaval_

Engana-se quem pensa que as pessoas se afastam das redes sociais nos grandes feriados nacionais e festividades em geral. Na verdade, o que acontece é o contrário. As pessoas ficam ainda mais conectadas compartilhando seus momentos e interagindo umas com as outras. Segundo informações do próprio Facebook, apesar de as pessoas compartilharem mais fotos que textos, elas ainda acessam seus perfis diariamente, predominantemente de dispositivos móveis. Com base nos dados estatísticos que coletaram em 2013 e 2014, o Facebook criou um infográfico que pode ser bem útil para quem quer compartilhar conteúdo relevante na época do carnaval deste ano. 

Veja o infográfico na íntegra abaixo:

Fontes: AdNews e Facebook

O Facebook te conhece mais do que seus pais


fb-like

Basta curtir qualquer coisa, por mais inocente que pareça, e já é informação suficiente para o Facebook saber mais sobre você, ainda mais do que seus amigos e parentes. Pesquisadores americanos, de Cambridge e Stanford, desenvolveram um programa de computador que provou isso analisando os “likes” de 85 mil usuários da rede social e comparando estas informações à personalidade real de cada pessoa.

Para que isso fosse possível, os participantes do estudo responderam a uma pesquisa capaz de monitorar os gostos e o perfil de cada um. E ao mesmo tempo pais e amigos responderam a mesma pesquisa sobre os voluntários para o teste. E, então, o resultado pode ser comparado aos dados compilados pelo programa que analisa as curtidas. Conclusão: O Facebook conhece as pessoas melhor do que quem convive com elas! Com base apenas em 70 likes, o software conseguiu um resultado muito mais próximo à pesquisa preenchida pelos próprios participantes. E com 150 superou até mesmo as mães que também responderam o questionário.

A única exceção foi com o resultado do teste entre esposas e maridos. Ao responder, os pares tiveram pontuação maior do que o Facebook.

Quer tentar? O teste está disponível (em inglês) aqui.

 

Fonte: Revista Galileu

As redes sociais do futuro


gerenciamento_redes_sociais

Isso é fato: as redes sociais provocaram transformações profundas na comunicação. Mas, você já se perguntou como será esse cenário nos próximos dois anos?

De acordo com dados do eMarketer algumas redes sociais continuarão a crescer enquanto outras perderão significância entre os diferentes grupos etários. Apesar do que se diz por aí, o Facebook não dá sinais de que irá desaparecer entre seus concorrentes, porém, sua audiência vai ‘envelhecer’.

Nesse ano, a previsão é de que a rede social de Mark Zuckerberg atinja 156,5 milhões de usuários. Já em 2016, espera-se que a plataforma chegue à marca de 160,9 milhões, o que a coloca como a maior rede em número de membros. Porém, o público com idade entre 24 e 25 anos deve diminuir consideravelmente em relação a 2015, passando de 32,1% para 20,5%. O mesmo deve acontecer com o grupo na faixa dos 18 a 24 anos.

Uma das principais apostas do eMarketer é o crescimento de redes sociais que já são presenças fortes no mobile, como Twitter, Instagram, Pinterest e Tumblr. Nessas plataformas, os grupos de usuários mais jovens devem aumentar nos próximos dois anos.

Confira as previsões completas no infográfico abaixo:

Fonte: Proxxima

Primeiros passos para investir em anúncios nas mídias sociais


social media

No ano passado, pela primeira vez os gastos com publicidade na internet superaram os dos jornais, segundo o blog do Hootsuite. Em 2013, os publicitários chegaram a gastar mais de 5 bilhões de dólares com publicidade nas mídias sociais e a expectativa é de que até 2018 este número aumente para 14 bilhões. No terceiro trimestre de 2014, só o Facebook foi o responsável por trazer 2,96 bilhões de dólares em propaganda, dos quais 66% vieram de anúncios para mobiles. Já o Twitter, no mesmo período, teve 85% de sua receita total vinda dos anúncios publicitários – cerca de 320 milhões.

No Facebook, os anúncios em desktops elevam em 8,1 o número de cliques, e os anúncios móveis aumentam 9,1. E os tweets promovidos mostram taxas médias de engajamento de 1 a 3%, maior do que banners tradicionais. Em junho de 2014, 80% dos comerciantes norte-americanos já estavam usando tweets promovidos.

Esses dados deveriam ser o suficiente para nos convencer de que a publicidade nas mídias sociais tem ganhando cada vez mais espaço. Para ajudar com o uso dessas ferramentas, o CEO do Hootsuite listou seis maneiras para usar os anúncios publicitários para aquecer os negócios, um pequeno guia para os iniciantes.

Use os posts gratuitos para testar o que poderá ser um post publicitário pago

Provavelmente já é comum que uma marca compartilhe tweets e posts no Facebook. Algumas dessas mensagens vão repercutir e outras não. O ideal é acompanhar as que estão sendo clicadas, compartilhadas e comentadas. São estas mensagens de alto desempenho que serão as melhores candidatas aos anúncios pagos.

Tire vantagem da segmentação dos recursos

Um dos principais problemas com anúncios tradicionais é a ineficiência. Twitter, Facebook, LinkedIn e outras mídias sociais que podem ser plataforma publicitárias oferecem atualmente a possibilidade de segmentação de público, que resolve parte dessa questão.

Faça com que os anúncios circulem com frequência

Um das maiores preocupações ao lidar com anúncios nas mídias sociais é não cansar os usuários. Quando as pessoas começam a ver anúncios de uma mesma marca com muita frequência elas cansam e os cliques diminuem consideravelmente. E quando isto acontece, o Facebook, por exemplo, eleva o custo por clique, o que afeta diretamente as campanhas de engajamento. Uma dica do Hootsuit é programar para que os anúncios sejam postados a cada 5 ou 3 dias e que o conteúdo esteja sempre “fresco” e interessante.

Teste os seus anúncios

Uma das grandes vantagens das mídias sociais é que o feedback é instantâneo. A eficácia do post pode ser medida em minutos, e é possível acompanhar com relatórios e análises avançadas. Tendo estas vantagens em mãos, a dica é enviar anúncios teses para pequenas audiências, acompanhar estes resultados e investir nos anúncios que trouxerem mais engajamento para a página.

Entenda como os anúncios são vendidos

Os anúncios são vendidos de formas diferentes de acordo com cada mídia. No Twitter, por exemplo, as empresas pagam por uma base de engajamento. O Facebook e o LinkedIn dão a opção de pagamento por alcance. É fundamental saber como as mídias atuam com anúncios pagos para projetar efetivamente os tweets e posts. No Twitter é preciso que as pessoas realmente estejam interessadas no conteúdo a ser clicado, pois o objetivo é direcionar perspectivas reais para o site e não apenas atrair visualizações.

Crie anúncios sem se esquecer dos smartphones

Não é novidade que atualmente as mídias sociais são consumidas principalmente nos dispositivos móveis. Os usuários do Twitter gastam 86% do seu tempo nas mídias sociais desta maneira, e os do Facebook gastam 68%. Consequentemente os anúncios estão sendo vistos em sua maioria por meio destes dispositivos. Por isso, as mensagens devem ser feitas pensando na visualização em telas menores.