• .
  • .
  • .
  • .
  • .

Internet só para baixinhos


Infografico-Internet-só-para-baixinhos2 (1)

Em tempos de computadores, tablets e afins, percebemos como a internet entra na vida das crianças cada vez mais cedo e com mais intensidade. E os efeitos de toda essa exposição à tecnologia durante a infância já se tornaram objeto de estudos e os resultados não são nada satisfatórios.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Ibope, as crianças brasileiras são as que passam mais tempo utilizando a internet. Tem até estudos que apontam os malefícios do uso excessivo das tecnologias de informática por parte delas, como exemplo, o uso de gadgets e computadores aumenta 1,47 vezes as chances de que a criança se torne obesa.

Outro estudo aponta que um percentual importante do grupo da faixa etária entre seis e nove anos passa mais de dez horas por dia na web e, embora a idade mínima para a utilização do Facebook seja de 13 anos, 54% deles possuem cadastro ativo.

Mas, em um mundo que vive tão ligado à internet, qual é o limite para o uso dessa ferramenta entre aqueles que dependerão cada vez mais dela no futuro? Para ajudá-lo a encontrar as respostas, a Infobase Interativa criou um infográfico com dados e dicas que podem tornar a internet aliada no desenvolvimento da criança. Veja só!


 

Fonte:  Infobase Interativa

Livros em redes sociais


livros-sobre-empreendedorismo-1024x640

Quem gosta de ler sabe da importância de listar todas as histórias que passaram pelas nossas mãos e quais devem estar na lista (imensa) de próximos títulos. Também gosta de saber o que os amigos andam lendo, pegar boas dicas e fazer aquela pilha de livros (ou guardar muitos arquivos em PDF), como uma fila de espera aguardando a história da vez terminar.

Em tempos de rede social, por que não fazer parte de uma (ou várias) dedicadas à leitura, lista de livros, ranking dos melhores, dar a sua avaliação e compartilhar o que você anda lendo?

Se você conhece a Goodreads ou o Skoob, por exemplo, sabe do que estou falando. Estas redes sociais são uma forma prática e divertida de compartilhar boas histórias com seus amigos que também têm uma queda por livros. Além disso, fica registrado ali tudo o que você já leu. E uma outra lista, geralmente com o triplo do tamanho da primeira, com os títulos para serem lidos. Também é possível fazer parte de grupos de discussão sobre temas específicos e desafiar a si próprio a ler quantos livros achar que consegue no ano. E o mais legal: quando você seleciona um livro aparecem opções de compras online e download do e-book, dependo em qual rede estiver usando.

Essas redes são interessantes e inspiradoras. E, assim que você começa a fazer parte delas, a lista de livros para ler já começa a aumentar e pelo jeito não para nunca! É possível acessá-las usando a conta de outras redes com o Facebook, Twitter e Google, o que facilita encontrar os amigos que já usam estas redes e convidar outros para participar.

Homenagem da Cadaris a todos os nossos clientes


festa_surpresa_baloes (1)

Em meio a tantas datas comemorativas, há aquelas que, de tão especiais, merecem mais atenção, destaque e espaço. Na Cadaris, o Dia do Cliente de enquadra nessa categoria.

Por isso, para agradecer toda a confiança e parceria de nossos clientes, saímos na agência colhendo declarações de alguns de nossos funcionários que, dia após dia, atendem, criam, conversam, etc. Tudo com o único objetivo de oferecer nosso melhor. Confira!

“Reuniões, briefings, cronogramas, planejamentos… Todos os dias aprendemos mais e nos superamos graças a você que nos instiga, que nos desafia e nos faz melhor! Obrigada, querido cliente, por toda confiança e credibilidade”,  Juliana Pimenta, de Planejamento.

“Todos os nossos textos são pra vocês! Todas as nossas melhores ideias também são para vocês. E só temos que agradecer, pois o nosso crescimento profissional, e até pessoal, está totalmente conectado ao nosso trabalho junto com vocês”, Ana Paula, da equipe de redação.

“Dizem que o cliente sempre tem razão. Transformamos esssa razão em compromisso, e o compromisso em sucesso. Obrigado a todos nossos clientes pela relação que construímos e transformamos a cada dia. Feliz dia do cliente!”, Guilherme, da equipe de criação.

“A vocês que compartilham seus trabalhos, suas dúvidas e sonhos comigo – Muito Obrigada! Além de ‘clientes’, criamos uma relação de amizade que me faz não só lutar todos os dias por seus ideais, mas também de ver em vocês uma oportunidade de crescimento pessoal – são tantas experiências e conselhos que impossível não serem parte da minha vida”, Larissa, da equipe de atendimento.

“Agradecemos a todos os parceiros que nos escolheram. Pois, nosso crescimento deles dependerá. Esperamos ainda mais estreitar nossos laços. Para que além de serviços, possamos juntar nossos passos”, Barbara, do Administrativo.

Por que as pessoas tiram selfie?


Fonte: jermzlee

Fonte: jermzlee

Toda vez que eu zapeio a internet e me deparo com uma selfie a pergunta que vem a minha mente é sempre a mesma: Por que as pessoas tiram selfie?

Para você ter uma ideia, a selfie (ou autorretrato, para os menos familiarizados com a nova febre) está tão inserida em nosso contexto social que, segundo uma pesquisa encomendada pela Samsung, mais de 50% da população já fez uma na vida.

Até o respeitabilíssimo Dicionário Oxford, o mais extenso da língua inglesa, anunciou que um novo verbete passaria a figurar em suas páginas: selfie, que reúne o substantivo self (eu, a própria pessoa) e o sufixo ie. Eis sua definição: “Fotografia que alguém tira de si mesmo, em geral com smartphone ou webcam, e carrega em uma rede social.” Os responsáveis pelo Oxford informaram que o dicionário (surgido no século XIX) aceitou o novo verbete porque as citações a selfie cresceram 17.000% em 2013. O ingresso do termo no Oxford, no entanto, não é apenas fruto de uma estatística. É o reconhecimento de um fenômeno global.

Tornou-se um gesto comum esticar o braço segurando o celular apontado para o rosto, e depois compartilhar a foto no Instagram, Facebook ou similares. Mas, por quê? De acordo com a psicóloga Luciana Nunes, mestre em saúde mental, diretora do Instituto Psicoinfo e estudiosa da relação entre tecnologia e comportamento, que deu uma entrevista a Veja ano passado, “o selfie pode revelar um estado de espírito ou ser um meio de autopromoção”.

Na mesma reportagem, Nunes explica que no mundo digital a brincadeira se espalha à exaustão graças à mistura de dois ingredientes: hardware e software. “Os selfies ganharam relevância depois do lançamento das câmeras que transformaram smartphones com conexão à internet em máquinas fotográficas. E como todo hardware precisa de software, o Instagram teve papel indispensável”, diz.

Para a psicóloga, há três grupos bem definidos de autores de selfies. O primeiro é formado pelos exibicionistas. É gente que costuma parar diante do espelho do elevador ou da academia e exibir para a câmera, por exemplo, os resultados da malhação. O segundo reúne aquelas pessoas que querem apenas mostrar seu estado de espírito – felicidade ou tristeza ao acordar, ao encontrar um amigo etc. Por fim, tem o time que quer mostrar que está em algum lugar, parque ou shopping, por exemplo, desde que a paisagem não ganhe mais importância do que o autor.

E você, por que tira selfie?

Fonte: Veja

Por um mundo com e-mails mais eficientes


Seja qual for a área em que você trabalha, saber lidar com e-mails é uma habilidade que pode deixar tudo melhor, mais fácil e mais eficiente. E, apesar de parecer algo básico ou óbvio, saber o momento certo de enviar um e-mail e também formas eficientes de escrever e responder são conhecimentos que vamos aprimorando com o passar do tempo. Em muitos momentos um e-mail bem escrito, objetivo e apropriado pode ser decisivo para definir o sucesso de algum projeto. 

Tanto o seu tempo quanto o de quem recebe seus e-mails é precioso e não pode ser desperdiçado. Por isso, preparamos algumas dicas baseadas em posts publicados nos sites Make Use Of e o Think Simple Now e também na experiência diária de quem tem se preocupado cada vez mais em escrever e-mails concisos, objetivos e eficientes (esta que vos fala).

1) Pense no objetivo do seu e-mail - Pensar antes de agir é uma forma de prevenir erros. Antes de começar a escrever ou até responder um e-mail, defina para si mesmo qual é o motivo do envio e qual é o objetivo que se espera dele. Se isso não está claro para você, não estará para mais ninguém. Vale até fazer um rascunho antes, pois muitas pessoas pensam melhor por escrito. Isso ajuda também a eliminar do texto trechos que não vêm ao caso no momento ou são irrelevantes ao objetivo final.

2) Tenha empatia com seu leitor -  Colocar-se no lugar do receptor da mensagem é fundamental, especialmente na comunicação escrita. Repito: uma mensagem que está confusa para você é ainda mais confusa para seu leitor. Nem sempre a sua forma de raciocínio funciona para outras pessoas e isso tem que ser “traduzido” em algo inteligível para quem vai ler. Uma estratégia eficaz é reler o texto após algum tempo para ver se o que ele diz realmente faz sentido.  Ninguém gosta de passar horas tentando interpretar um e-mail confuso. 

3) Escreva de forma direta, concisa e simples - Dar detalhes em excesso, fugir do tema e não escrever com clareza causam desconforto em quem lê. Evite explicar demais e também fazer perguntas demais. Fale pouco e faça questionamentos objetivos. Quanto mais se escreve, mais fácil perder o foco e não obter resultados. Além disso, ter cuidado para simplificar as ideias é uma gentileza a mais com seu leitor.

4) Releia sempre antes de enviar - E de preferência duas vezes. Durante estas releituras você verá que pode excluir trechos, resumir, organizar melhor as ideias e também corrigir pontuação e erros ortográficos e de digitação. Não tenha pudor para cortar e reescrever partes do seu e-mail. Lembre-se que o foco é comunicar bem suas ideias e atingir o objetivo que você definiu no começo do processo. 

Ser ou não ser anônimo na internet?


Mystery-Question-Marks

Você é a favor do anonimato na internet? Ok. A pergunta o deixou pensativo. É normal. No geral, as pessoas não pensam muito sobre anonimato quando estão navegando pela internet.

Em uma entrevista concedida à revista Época, Karen Reilly, diretora de desenvolvimento do Projeto Tor, um programa de computador usado por quem faz questão de preservar o anonimato, diz que os internautas geralmente acreditam que o anonimato é o padrão da internet e se esquecem de se preocupar com o rastro digital que deixam ao navegar. “Qualquer site que você visita é registrado pelo provedor de internet. Os sites sabem onde você está. Se você usa e-mail, o provedor do serviço sabe com quem você conversa. Dependendo das leis de seu país, tudo o que você fez on-line no último ano está armazenado em algum lugar”, conta.

Talvez você nunca tenha pensado nesses por menores antes, mas alguns dos exemplos dados por Karen são realmente assustadores. Você sabia que ao usar um telefone para tirar uma foto e publicar numa rede social, há como ver as coordenadas de GPS da imagem e dizer onde você estava naquele momento?

Por que ser anônimo?

A primeira coisa que vem à cabeça da maioria das pessoas quando se fala em anonimato na internet é a ideia de que se alguém deseja ser anônimo é porque quer praticar algo errado.

Essa visão pode ser simplista demais. A possibilidade de se manifestar na web de modo anônimo traz garantia da possibilidade de livre expressão e de combate à censura e ao controle de dados dos usuários (lembra-se da espionagem revelada por Edward Snowden?).

Em tempos em que tudo é tão exposto, vigiado e documentado, o anonimato não é só um direito como uma necessidade. Recentemente, Christopher Poole, fundador do 4Chan (fórum em que todas as postagens são anônimas), deu uma palestra no TED em que dizia sobre o poder e o preço do anonimato. Ele defende que na guerra de egos em que a internet se tornou o anonimato é sinônimo de criatividade. Ou seja, um ambiente de livre expressão encoraja a autenticidade nas trocas e incentiva a experimentação.

Com o mundo ficando cada vez mais digital é importante pensar sobre quem terá autorização para entrar em nossa casa, ler nosso diário, sentar no nosso sofá e revirar nossas coisas.

 

Fonte: Revista Época e YouPix

Por que as pessoas amam o WhatsApp?


whatsapp_amado

 

Certamente, o WhatsApp é a nova menina dos olhos do fundador do Facebook. Em fevereiro, quando adquiriu a empresa, Zuckerberg disse que o app ia conectar 1 bilhão de pessoas. Agora, com 600 milhões de usuários em todo mundo, ele fala em até 3 bilhões. “Eu acho que o WhatsApp será a plataforma global de mensagens de texto”, declarou Zuckerberg ontem em evento na Cidade do México.

E por que as pessoas – de todas as classes sociais, idades, preferências sexuais e hábitos – amam esse aplicativo? Afinal, existem inúmeros apps de mensagem instantânea, e alguns bem amados, como Hangouts, WeChat e ICQ. Por que o WhatsApp tem 50 milhões de novos usuários por mês?

1. Porque permite a troca de mensagens com a eficiência de um torpedo, porém gratuitamente.

2. Porque você não precisa ser amigo de ninguém. Basta ter o número do celular e pronto.

3. Porque todo mundo whatsapeia (gostaram do termo?).

4. Porque é o app de mensagem de texto mais usado no momento.

5. Porque a atualização do dia 08/09 deixa você arquivar conversas com um toque e editar vídeos e fotos antes de enviar. Atenção: algumas novidades são válidas somente para iPhone 5S.

Eu poderia tornar esta lista gigantesca, com um post “top 30 razões blá blá blá”.  #SQN. Para mim tudo isso é ponta de iceberg. A explicação está no fundo, no atendimento à necessidade mais antiga do ser humano de conectar-se uns aos outros.

 

WhatsApp preenche lacuna

Numa era de luta contra o relógio, o WhatsApp parece preencher esta lacuna de conexão. É uma maneira de conversar com as pessoas queridas – em grupo ou individualmente – mesmo não morando na mesma cidade, e sem ter que esperar conectar, chamar, etc. E pra quem tem preguiça de escrever, é só mandar um monte de beijinhos, palminhas ou TOPs. É uma forma de participarmos da vida uns dos outros, todos juntos ou separados, numa realidade veloz e repleta de efemeridades.

O WhatsApp tem o poder de transitar do digital para o real e vice-versa, naturalmente; sem ênfase na mídia e sim nos conteúdos. O app simplesmente faz parte da vida das pessoas assim como o telefone e o email. E já existem até outros aplicativos criados para tornar sua experiência melhor ou mais completa, como emoticons, acesso por desktop, etc.

Comprovo aqui minha teoria com uma história real.

A avó da Andressa Fujiwara (a Dê), uma amiga na Agência Cadaris, é fissurada em WhatsApp. E contrariando os experts em mídias sociais, ela está bem distante da juventude. Com mais de 80 anos, no aniversário da nossa querida Dê, ela ligou e disse: “Dressa, não vou te dar parabéns pelo telefone porque vou te mandar um WhatsApp”.

Recentemente, Dona Ana, que mora em Apucarana no Paraná, passou por uma cirurgia em São Paulo e quase surtou com as quatro horas que passou na sala de recuperação sem o seu smartphone. Quando chegou ao quarto, sua primeira frase foi: “Cadê o meu iPhone? Preciso responder minhas mensagens do WhatsApp e avisar aos meus netos que eu sobrevivi”.

Quer coisa melhor para uma avó do que estar com todos os netos na palma da mão? E isso é coisa de jovem? Não, isso é humano.

Assim como dona Ana, eu, você e outras 600 milhões de pessoas, possivelmente, também participamos de um grupo de família, de melhores amigas, de baladeiros, etc. Culinária, piada, aniversários, eventos. Tudo passa pelo WhatsApp!

 

Links úteis

Zuckerberg quer que WhatsApp alcance de dois a três bilhões de usuários

Atualização do WhatsApp para iOS traz novos recursos

Veja as mensagens do WhatsApp no computador usando o Pushbullet

O potencial do Whatsapp para o uso em mineração de dados 

Guia completo para grupos no WhatsApp

 

Plano de marketing: tire a ideia do papel!


marketing_02

O primeiro passo para o sucesso é ter um bom plano de marketing. Mas, de nada vale um maravilhoso e bem feito plano se ele não for aplicado no dia a dia.

Veja algumas dicas que podem te ajudar a tirar o seu plano de marketing do papel.

Faça planos para curto e longo prazo. O futuro é imprevisível, portanto, além do grande plano, trace pequenas metas que podem ser alteradas e ajustadas conforme os acontecimentos. É importante ter opções diferentes de caminhos a seguir e, conforme estiver mais próximo do objetivo principal, afinar as estratégias. Por exemplo, quem cria um portal e pretende que em cinco anos seja um dos mais acessados do ramo, pode ter metas mais curtas como alcançar 10 mil visitas em uma semana. Assim, fica mais fácil revisar um plano de marketing e fazer com que seja mais funcional.

Ter metas específicas e pontuais ajuda a enxergar melhor aonde quer chegar. Definir objetivos como “fortalecer a marca” e “aumentar vendas” é genérico demais e contribuiu para o plano não sair do papel. Além de especificar e deixar muito claro o que quer, é importante colocar prazos. Assim, é possível medir resultados e traçar estratégias mais eficientes.

Certifique-se de ter todas as ferramentas necessárias para fazer uma boa campanha e de que sabe usá-las. Se o objetivo é usar o Facebook e o Google, o ideal é ter uma estrutura para analisar qual deles gerou mais vendas, por exemplo, ou chamou mais pessoas ao seu negócio. O Google Analytics costuma ser uma boa ferramenta. Ao avaliar os resultados, logo irá saber onde o seu investimento deve estar mais focado. No caso das mídias impressas, é importante criar e-mails e telefones exclusivos da campanha para saber se o público realmente veio deste material.

Faça revisões frequentes das ações de marketing quando começar a colher os primeiros resultados. Assim, é possível saber se o plano inicial é eficiente e o que precisa ser ajustado. Se o resultado foi negativo, é hora de rever tudo. Se foi positivo, avalie o que é possível fazer para melhorar ainda mais. Com uma boa avaliação em mãos, o seu plano sairá cada vez melhor mesmo se a realidade não for a esperada quando traçou o primeiro plano.

Serviços que descomplicam sua vida


abre1-jpg

Descomplica! Descomplica! Quem é paulistano sabe como é difícil descomplicar morando em uma das maiores cidades do mundo, não é? Pensando em toda essa dificuldade de quem vive em São Paulo, serviços de diversos tipos se adaptam à era da internet e encontram alternativas que facilitam, e muito, o dia a dia.

Acabou a cerveja do churrasco às 2 da manhã? O delivery de bebidas resolve. Não tem ração para o cãozinho? Um serviço de assinaturas não deixa a comida faltar. Esqueceu o presente do chefe? Dois sites fazem a entrega em no máximo três horas. Está achando isso bom demais pra ser verdade? Pois acredite. Hoje, há sites que levam à porta de casa itens que vão de pães a fraldas. Sem exageros.  Confira a seguir um pequeno guia com alguns desses serviços.

Paredes novas em dois dias

Em até 48 horas, a Parafuzo, startup especializada em serviços domésticos, promete entregar o orçamento e iniciar o trabalho de pintura na casa do cliente. Outros tipos de pedido também podem ser atendidos nesse prazo, como retoques de parede. Os preços começam em 299 reais — o equivalente à pintura de uma parede de qualquer tamanho (sem o material). Parafuzo. Tel. 3588-1588, www.parafuzo.com.br.

“Marido” faz de tudo

Os negócios de “marido de aluguel” fazem pequenos reparos em casa, instalações elétricas, consertos de marcenaria e encanamento, entre outros “bicos”, em até 48 horas. O agendamento é realizado por telefone e o serviço, cobrado por tempo de trabalho: 132 reais é o valor da hora na primeira empresa e 120 reais na segunda — ambas exigem um contrato mínimo de duas horas. Marido Service.  3534-5353. www.maridoservice.com. Marido de Aluguel SOS.  2368-2800. www.maridodealuguelsos.com.br.

Novidades na faxina

Importado de Portugal em 2012, o método da House Shine promete economizar produtos de limpeza, reduzir em até 70% o consumo de água e entregar o serviço completo em duas horas — ao menos dois profissionais encaram a missão. Outra novidade no setor de diaristas, o Blumpa é um site que permite encontrar faxineiras pela internet com antecedência de apenas 24 horas. A contratação ocorre em três etapas: descrição do local, cadastro e pagamento por meio de cartão ou boleto bancário. A limpeza básica de um apartamento de dois quartos, de 51 a 100 metros quadrados, custa 100 reais. Blumpa. Tel. 3230-1844. Www.blumpa.com. House Shine. Tel. 3061-5045. www.houseshine.com.br.

Presentes em cima da hora

Na aba “last minute” do e-commerce Found It!, de presentes criativos, há opções que são entregues em, no máximo, quatro horas (mas isso só vale para as compras feitas até as 16 horas de um dia útil.As sugestões mudam diariamente e custam a partir de 50 reais, mais 16 reais do frete. Found It!.Tel. 3467-5658. www.foundit.com.br.

Cuecas e meias pelo correio

Fundado em 2012, esse plano de assinaturas foi desenvolvido para os homens solteiros que vivem na capital. A cada três meses, itens básicos de vestuário, como meias e cuecas, além de produtos de higiene pessoal, entre eles desodorante e lâminas de barbear, são entregues na casa do cliente cadastrado. Pelo site, ele escolhe quantos e quais produtos deseja receber e paga pelo valor deles (não há taxa fixa ou plano). Um pacote com cueca, lâmina de barbear e xampu sai por 34,70 reais, mais o frete. O valor é cobrado no cartão de crédito a cada três meses. Rabixo. www.rabixo.com.br.

Tigela cheia

A pet shop on-line PetLove oferece assinatura de todos os seus produtos, para diversos tipos de animal, porém a entrega de ração é um dos serviços mais úteis. Em periodicidade a partir de quinze dias, o cliente recebe no endereço escolhido a quantidade de alimento que desejar, podendo incluir tapetes higiênicos ou petiscos. PetLove. Tel. 3335-0200, www.petlove.com.br/assinatura-de-racao.

Economia no estacionamento

A cena é comum. Você visita uma rua desconhecida e para no primeiro estacionamento que vê. Logo, descobre que outra garagem no próximo quarteirão era mais barata. Para evitar esse tipo de aborrecimento, o aplicativo colaborativo Let’s Park localiza os estacionamentos que estão mais perto do lugar aonde você quer chegar, mostrando seus preços, horários de funcionamento e convênios. É grátis e funciona nos sistemas operacionais iOS e Android. 

Cerveja, vodca e uísque

Para evitar o mico de acabar a bebida no meio da festa, surgiram os deliveries de cerveja. O Gelada Express atende até às 3 horas em algumas noites. A entrega demora meia hora. Presente na Zona Oeste, no centro e na Zona Sul, a Saidera Brasil, do empresário Daniel Franco, vende cervejas comuns e premium — uma lata de Brahma sai por 2,85 reais —, além de vodca, uísque e aperitivos como amendoim.Gelada Express. Tel. 5084-6606, www.geladaexpress.com.br. Saidera Brasil. Tel. 4119-8988, www.saiderabrasil.com.br. 

Fornadas da Beth

Beth Viveiros deixou o escritório de engenharia onde trabalhava e investiu em seu hobby: cozinhar. Em fevereiro, abriu uma loja virtual de pães, bolos e biscoitos, que custam em média 12 reais. São brownies, cookies, rosquinhas, baguetes… Os produtos mudam a cada semana. Com frete grátis acima de 20 reais, os pedidos feitos até quinta-feira às 20 horas são recebidos na sexta. Os entregadores de bicicleta atuam na região do centro expandido. Beth Bakery. www.bethbakery.com.br.

 

Fonte: Veja São Paulo

Um caderninho para chamar de seu


diary

As ideias podem vir a qualquer momento. E um bom passo para começar a aproveitar os pequenos momentos de epifania que temos no dia a dia é ter um caderninho sempre à mão. Ele é um grande aliado para valorizarmos nossos pensamentos cotidianos e, principalmente, guardá-los para que eles eventualmente sejam aplicados em algo concreto. Quem trabalha com criação escrita sabe por experiência própria que o resultado final de algo em que estamos trabalhando, seja um texto grande ou uma frase curta, geralmente deriva de um processo e também de pequenas ideias que vamos tendo aos poucos.

Ter o hábito de anotar, desenhar e fazer rascunhos em geral pode ser um bom exercício diário de criatividade, especialmente para momentos em que normalmente estaríamos ociosos. Além disso, é necessário prática para melhorar as habilidades e, para a escrita, uma das formas de praticar é por meio da anotação de comentários e observações aleatórias. Em algum momento as frases soltas, as suposições ou um esboço de raciocínio poderão servir como início ou complementação de algo muito significativo.

O site Brain Pickings fez uma seleção de aspas de escritores que falam da importância das anotações e de diários para quem escreve. Algumas delas estão traduzidas livremente abaixo:

“Se você quer escrever, precisa manter um diário honesto, impublicável, que ninguém lê, ninguém além de você. Nele você vai apenas colocar o que você pensa sobre a vida, o que você pensa sobre as coisas, o que você acha que é justo e o que você acha que é injusto. “ Madeleine L’Engle

“Os cadernos de um escritor tem uma função muito especial: neles ele constrói, peça por peça, a identidade de um escritor para si mesmo. Normalmente , os cadernos dos escritores estão repletos de afirmações sobre vontade: a vontade de escrever, a vontade de amar, a vontade de renunciar ao amor, a vontade de continuar a viver. Um diário é o lugar onde um escritor é heroico para si mesmo.” Susan Sontag

“É superficial entender o diário apenas como um receptáculo para os pensamentos privados e secretos de alguém – como um confidente que é surdo, mudo e analfabeto. Nele eu não apenas me expresso mais abertamente do que conseguiria fazê-lo para qualquer pessoa; eu crio a mim mesma. O diário é um veículo para o meu senso de individualidade.” Susan Sontag

“Foi ao escrever um diário que eu descobri como capturar os momentos vitais . Manter um diário toda a minha vida me ajudou a descobrir alguns elementos básicos essenciais para a vitalidade da escrita.” Anaïs Nin

“Eu nunca viajo sem meu diário. Uma pessoa sempre deve ter algo sensacional para ler no trem.” Oscar Wilde