• .
  • .
  • .
  • .

Partiu #McDiaFeliz2016


Todo mundo já conhece né? O McDia Feliz é uma campanha em prol de adolescentes e crianças com câncer (a maior do país!) e acontece anualmente no último sábado de agosto. Já são 27 anos de existência.

Em 2015, foram vendidos 659.689 milhões de sanduíches Big Mac em todo o Brasil, com a arrecadação de R$22,114 milhões, contribuindo para o aumento dos índices de cura do câncer infantil e juvenil. Um recorde para a campanha!

Os recursos obtidos com o McDia Feliz viabilizam a implantação de unidades de internação, ambulatórios, salas de quimioterapia e unidades de transplante de medula óssea. Casas de apoio e projetos psicossociais em benefício de adolescentes e crianças com câncer em todo o país também são contemplados pela campanha.

Você imaginava que seu sanduíche podia fazer tanta diferença? Acreditamos nisso, que as pessoas fazem a diferença com atitudes simples! Por isso, a Cadaris contribui anualmente para o GRAAC.

Você pode também fazer uma contribuição e assim fazer a diferença o ano inteiro na vida dessas crianças. Mas que tal participar também nesse dia também?

Mc-Dia-FelizSeja um voluntário!

Você pode ajudar na campanha, mobilizando pessoas nesse dia! É só entrar em contato com uma das instituições participantes do McDia Feliz em sua cidade e se cadastrar.

Participe!

Vá a um dos restaurantes McDonald’s em todo o Brasil e peça um Big Mac, sanduíche ou McOferta. Além de matar a fome, você contribui para projetos em benefício de adolescentes e crianças com câncer de todo o Brasil. Você também pode comprar tíquetes antecipados do Big Mac em uma das instituições parceiras da campanha.

Use as Hashtags

Faça barulho nas redes sociais! Mostre seu apoio utilizando as hashtags: #FenômenoMcDiaFeliz   #PeçaBigMacEAjude   #McDiaFeliz2016

É agora, dia 27 de agosto! #PeçaBigMacEAjude  e #Partiu !

Leia com atenção e pense antes de começar


Quantos e-mails recebemos por dia?

De clientes, líderes, colegas, fornecedores.

A respeito de briefings, correções, emendas, refações, aprovações, orientações, reuniões etc.

Fora o que chega por outros meios, de mensagens de celulares a solicitações pessoais ou por telefone.

Ainda que tenhamos muita coisa pra resolver e pouco tempo, é preciso “ler” com atenção antes de “sair fazendo”.

ler-entenderEsta aí uma das sacadas mais importantes: entendermos, e não ter tanta pressa para começar o trabalho. Esse é uma forma de sermos mais produtivos, organizados e felizes.

Veja o que acontece muito em rede social. Fulano curte ou comenta um post sem mesmo ler o material completo, muitas vezes só pelo título ou chamada já tece uma opinião. Às vezes, acontece de uma pessoa falar mal sem ao menos ler a matéria à qual o link leva. Daí, ela interpreta a informação de forma rasa, devido à análise incompleta que fez, e é capaz de ir contra a algo ou alguém que na verdade a favorecia.

Esse é um aprendizado pra usar sempre. #DicaDaRedação

Por Rodrigo Rezende

Aqui na Cadaris tem pokemon


Carrossel-da-Home

É fácil, é muuuuito legal e qualquer um pode jogar. Talvez esses sejam os três motivos principais que fizeram o jogo Pokemon Go viralizar em todo mundo. A Nintendo, que possui alguns direitos de Pokémon e uma fatia de participação na desenvolvedora do jogo, Niantic, teve o valor de suas ações dobrado nas duas semanas após o lançamento do jogo, o que adicionou US$ 12 bilhões ao valor de mercado da empresa.

Antes de se posicionar a favor ou contra, conheça os benefícios e os malefícios do jogo.

TABELA

Para quem nunca jogou e quer saber como funciona, aqui vai um tutorial, preparado especialmente para quem não tem tanta familiaridade com games de realidade aumentada ou pokemons.

Minha caça pokemon começou às 7h20 na Agência Cadaris.

pokemongo_1

pokemongo_2

pokemongo_3

pokemongo_4 pokemongo_5 pokemongo_6

pokemongo_7 pokemongo_8

pokemongo_9

Aqui na Cadaris, nós temos a mente aberta. Tem gente que não vai nem tentar e outros que já vão virar meus concorrentes diretos. Let’s Catch, Let’s Rock! #pokemongo #letsrock #letscatch

 

Poupe tempo, pegue um atalho


O tempo é uma das coisas mais valiosas que temos. Isso nem precisa explicar, mas vamos pensar um pouco sobre isso. Será que podemos enganá-lo e usá-lo a nosso favor? Sim. Basta usar o atalho!

Por exemplo, ver a previsão do tempo e saber como você vai sair vestido de casa, consultar o Waze para saber o caminho mais rápido, descer de escada em vez de esperar o elevador. Coisas simples do nosso cotidiano, mas que são nossos atalhos do dia a dia para buscar tornar tudo mais fácil e prático.

Aqui na agência, é muito importante saber administrar o tempo para que o resultado do trabalho seja significativo. E é nessa hora que o atalho é indispensável. Além de você ter o conhecimento sobre as funções dos softwares que você usa todo dia, o atalho é fundamental para o seu desempenho.

A gente poupa tempo executando e converte esse ganho em descobrir coisas novas, pensar melhor no job em questão, avaliar o cenário… e, claro, dá pra fazer um almoço mais tranquilo pra mente.

Poupe-tempo-pegue-um-atalho

Veja AQUI para conhecer os atalhos mais usados dos principais programas que a área de criação mais utiliza.

Aliás, você sabia que nos programas também dá para criar seus próprios atalhos? Tipo quando a gente muda o caminho e chega mais rápido do que o Waze estava prevendo ;)

Se quiser saber mais, é só perguntar!

Por Maurício Trentini Stoppa

Você sabe o que é lead?


Se todo projeto bom começa com um bom briefing, podemos dizer também que quase todo texto e quase todo relacionamento (com clientes ou consumidores) começa com um bom lead!

post-leadLead é uma palavra inglesa que tem vários significados. Entre eles, como verbo, significa ‘guiar’ ou ’conduzir’, e é exatamente o que ele faz, tanto no jornalismo quanto no marketing.

Em jornalismo, o lead é o primeiro parágrafo da matéria, que tem uma espécie de resumo da história ou notícia. Ele ‘guia’ a leitura e responde a perguntas essenciais: Quem? O quê? Como? Quando? Onde? Por quê?

Quem o escreve deve incluir a informação principal, incluindo dados que respondam a essas perguntas, ou pelo menos parte delas, sobre o fato apresentado.

Já em marketing, o resumo de informações é referente ao cliente. Ele deve reunir o essencial sobre a pessoa ou a empresa que se está criando o relacionamento, como nome, cargo, telefones e email, ramo de atividade, endereço, horário para contato, principal interesse ou necessidade, etc. Ele guia o relacionamento e, sobretudo, o primeiro contato.

Em CRM (gestão de relacionamento com clientes), usa-se o termo especialmente para prospects, ou contatos potenciais. É aquele cara com quem você ainda não está familiarizado, mas pode se aproximar até ‘convertê-lo em conta’, ou seja, num cliente efetivamente com relacionamento mais próximo.

Há várias estratégias de lead, ainda mais no planeta agência, onde trabalhamos com toda essa linguagem. Seja em repostagem (jornal, revista e materiais corporativos) quanto em marketing.

Quer conhecer essas estratégias? Mande uma mensagem pra gente! Topamos um café, um almoço ou até mesmo fazer uma palestra ou treinamento na sua empresa para contar mais sobre isso! (;

GIF-se com moderação


Em uma de suas (inúmeras) atualizações recentes, o Facebook liberou o envio de GIFs animados pelo bate-papo e aplicativo Messenger.

Mas e no newsfeed?

Bem, desde 2015 dá para usar GIFs no newsfeed do Facebook. E esse tipo de arquivo, antigo, que até tinha caído em desuso, ganhou mais que um fôlego, virou uma febre.

Sempre de olho no que é hype, as empresas também se aproveitaram disso, e com toda razão. O problema é fazer isso do jeito certo. Cenas lamentáveis ocorrem quando a gente vê uma coisa sendo mal-usada. E ficamos com aquela cara…

O lance é respeitar as mídias. Use os GIFs como uma forma diferente de abordar seu público. O usuário, o fã, já espera uma determinada comunicação, e quando vê um GIF ele é surpreendido positivamente, pois reconhece na empresa uma aproximação com o dia a dia, mais amigável.

O GIF é majoritariamente reconhecido por ser uma comunicação fun, então isso deve ser explorado também pelas empresas, numa campanha mais leve, com um tema mais descontraído. É uma oportunidade para explorar a criatividade, se libertar dos guides e ousar.

Tá, mas como funciona?

O Facebook mostra o GIF ao usuário como se fosse um vídeo, usando a mesma configuração de reprodução estabelecida pelo usuário. No relatório de postagens da fanpage, o GIF possui as mesmas métricas de uma imagem estática.

Dá para usar GIFs também em anúncios no Facebook, sem esquecer a recomendação dos 20% de texto (não tem mais limite, mas também não tá liberadão) . Cuidado também para eles não serem luminosos ou granulados, pois correm o risco de serem reprovados pelo Team Zuckerberg. E lembre-se: GIF não tem som!

Então, fique de olho nas tendências da internet, os memes, as piadas, jargões e assuntos que podem gerar buzz. O que não significa simplesmente copiar a piada, ou postar vídeos de gatíneos, mas sim conhecer o público, seus interesses e comportamento. Isso renova o relacionamento e a comunicação da marca.

Por Fred Pimenta e Vivian Ferreira

Fonte: Facebook Business, Wallaroo Media.

Todo mundo é sangue bom!


Com propriedade podemos dizer: a gente dá o sangue aqui na Cadaris pra fazer coisas legais e ajudar o mundo. Não é demagogia, não. Você pode vir aqui nos visitar para verificar. E nesta semana tivemos um exemplo bem legal. A agência fortaleceu a importância de doar sangue, aproveitando o dia mundial do doador, que foi 14 de junho.

sangue-bomA campanha que elaboramos para a ABO (Associação Brasileira de Odontologia) fez um baita sucesso na rede social e no portal da associação. Entra lá na Fanpage e dá uma espiada. Além disso, a ABO mandou e-mail para os associados, que os levou ao portal, onde preparamos mais informações sobre o assunto. Veja mais.

Para a Hill’s – marca de alimentos de cães e gatos da Colgate-Palmolive –, nos esforçamos para ajudar a encantar e mobilizar donos de pets e veterinários nessa causa. As duplas de criação que o digam! Tudo via e-mail marketing e também com essa landing page lindona! Conheça os casos de animais que foram salvos pelo sangue.

 

O filme destaque do mês


NiseNise – O coração da loucura

Não sabia nada sobre Nise da Silveira (1905-1999) ao assistir o trailer do filme que despertou meu interesse. E quando ele estreou, lá estava eu!

Expectativa correspondida. Um ótimo filme de uma pessoa admirável com uma história incrível. Daqueles filmes baseados em fatos reais que você mal sai da sala e já está no Google procurando por mais informações.

O filme começa com Nise, no pós-cárcere, retornando às suas atividades médicas no Centro Psiquiátrico Pedro II, no bairro do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, e se deparando com os tratamentos de lobotomia e eletrochoque como técnicas mais avançadas no tratamento psiquiátrico. Chocada com aquilo, ela se recusa a adotar tais práticas e é isolada pelos médicos, lhe restando trabalhar com a terapia ocupacional, que era então um setor abandonado onde os pacientes ficavam praticamente largados o dia todo.

Lá, Nise adota práticas humanistas por meio da arte e do amor. No lugar do “picador de gelo”, ela usava pincéis, tintas, argila, cães e gatos. Pacientes que até então eram tidos como casos perdidos e viviam incomunicáveis começam a se expressar por meio das pinturas e esculturas.

Baseando-se nos estudos de Carl Jung (com quem ela se corresponde, enviando algumas obras de seus “clientes” e recebendo o retorno de Jung), ela transforma o setor de Terapia Ocupacional em um Atelier de Arte.

A direção de Robert Berliner amarra muito bem todos os acontecimentos, retratando a história de maneira emocionante e sensível sem cometer excessos. Some-se a isso um elenco excelente encabeçado por Glória Pires, certeira no papel principal, e temos o resultado de um ótimo filme representando o cinema brasileiro!

O filme ainda está em cartaz em diversos cinemas e, se você ainda tem algum preconceito com filmes nacionais (não, definitivamente, não deveria), essa é uma ótima oportunidade de mudar o seu conceito.

Assista o trailer:

Curiosidade: O filme conta apenas uma parte da história incrível dessa mulher que foi Nise da Silveira. Saiba mais sobre ela AQUI.

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 5 guitarrinhas!

 

Compartilhar faz um bem…


IMG_1546Hoje, tive uma imensa felicidade. Me deram a oportunidade de transmitir o que aprendi nos últimos 20 anos com um dos jobs do meu coração a quem está chegando agora para tocar com a Cadaris esse barco. Ontem à noite, terminei de revisar o material em casa e uma infinidade de histórias me veio à lembrança, pessoas muito queridas, situações desafiadoras e coisas que me fizeram gargalhar. Como eu disse para as meninas: “Que vocês tenham nesta área todas as oportunidades de crescimento e desenvolvimento que eu encontrei”.

Da esq. para dir.: Natália e Nycole com a veterana Ana

Da esq. para dir.: Natália e Nycole com a veterana Ana

Chega de lenga lenga e vamos ao que interessa!

Preparamos um material aqui para este treinamento de jornalismo empresarial on-line, com conceitos básicos de presença digital e técnicas de jornalismo empresarial. Compartilho aqui uma parte deste material para quem tiver interesse. Valeu!

http://pt.slideshare.net/marisharada/treinamento-de-jornalismo-empresarial-online

 

O futuro é agora


TED-ricelias_BLOG

Vira e mexe, falo desse vídeo para alguém. Já mostrei para ex-namorada, para mãe, pai, para amigo, amiga, paquera, para desconhecido e também o incluí no meu blog pessoal e numa matéria de jornal. Oras, nada é perfeito nessa Terra, exceto esse vídeo.

Em cinco minutos, ele resume tudo o que penso sobre a vida, ou quase tudo.

Quase todo mundo tem uma segunda chance ou ainda vai ter. É nesse ponto que o empresário porto-riquenho Ric Elias entra, e ele dá um show – nessa apresentação rápida e mortal que fez há cerca de sete anos no TED, fundação que promove palestras rápidas sobre temas diversos.

Esse vídeo abaixo já vem com legenda em português, mas caso não apareça é fácil colocá-la. Basta clicar em subtitles do lado direito da tela, abaixo do vídeo, e escolher a língua.

E se você ainda não o viu, invista os próximos cinco minutos da sua vida nisso. Depois é só me agradecer.

Ric Elias conta que tinha um assento na primeira fila no voo 1549, o avião que pousou no rio Hudson, em Nova York em janeiro de 2009. O que passou pela sua mente quando o avião desceu desgovernado?

Ah, só para registrar, tem um filme, Sully, sendo preparado por Clint Eastwood, que vai contar essa história do piloto que salvou os 155 passageiros desse avião. Fique ligado.

O link do vídeo: https://www.ted.com/talks/ric_elias?language=pt-br

Texto: Rodrigo Rezende