• .
  • .
  • .
  • .
  • .

Não deixe a dengue entrar na sua casa


CARTAZ - Dengue - ALT

Gente, o papo é sério.  Os meios de comunicação não param de noticiar que os casos de dengue só têm aumentado na cidade de São Paulo e todo cuidado para diminuir a epidemia é pouco.

Em primeiro lugar, vale lembrar que a melhor forma de prevenção é cuidar do ambiente para evitar focos de água parada onde ocorre a proliferação do mosquito. É aí que a fêmea, que pode estar infectada, bota seus ovos. Por isso, é fundamental medidas preventivas para deixar a casa segura para você e sua família.

Veja a seguir algumas dicas de prevenção:

- Se a sua casa tiver caixa d´água externa, ela precisa estar bem tampada. O ideal é usar uma tela e depois a tampa. Uma frestinha já permite a passagem do mosquito;

- Tanques de lavar roupas, principalmente aqueles que não são muito usados, não podem estar entupidos, para não acumular água;

- Deixe os baldes virados com a boca para baixo;

- Limpe as calhas da sua casa com frequência, para evitar que galhos e folhas impeçam o escoamento da água;

- Garrafas pet, assim como as tampas, são recipientes propícios para o mosquito. Aproveite esse material e recicle.

- As piscinas merecem atenção. Nas que recebem cloro, é mais difícil o mosquito depositar os ovos, mas é preciso lavar as bordas com esponja. As menores devem ser esvaziadas e lavadas com água, esponja e sabão duas vezes por semana. Se não estiverem em uso, guarde-as;

- Se as plantas ficam no lado de fora da casa, não precisam de suporte. No caso daquelas penduradas, como samambaias, uma opção é deixar o prato ao contrário, só para apoiar a planta, ou bem grudado a ela. Outra dica é colocar no prato areia grossa, até a borda. As plantas aquáticas e vasos de rosas merecem atenção. Lave-os com escova e sabão e troque a água duas vezes por semana;

- Pneu: se você tem algum em casa, faça três furos na parte inferior, para não acumular água. Se você usa para jardinagem, preencha-o com terra ou areia;

- Os bebedouros do seu animal de estimação também são alvo da dengue. Lave-os, com esponja e sabão e coloque água fresca, de preferência, diariamente. Se for viajar, é melhor guardar.

Vamos juntos mandar o mosquito da dengue para o escanteio!
Fonte: Revista Crescer

 

 

Conflito, críticas e gentileza


team

Às vezes, a melhor coisa que se pode fazer para alguém é discordar de seu argumento. Afinal, uma boa equipe precisa de conflitos para conseguir realizar um bom trabalho e também para que cada indivíduo cresça e se desenvolva. Evitar o conflito ou a discordância é geralmente mais confortável, mas o caminho mais fácil nem sempre é o que traz melhores resultados. Partindo do pressuposto que o conflito é positivo e necessário, surge a questão: como manter um clima de conflito que realmente leve a equipe a evoluir?

O filósofo Daniel Dennett, em seu livro Intuition Pumps and Other Tools for Thinking, fala sobre os debates em que se discorda sobre aspectos científicos e morais. Sua ideia é que não se deve tentar “conquistar” ou derrotar o adversário, e sim, buscar ser verdadeiro e estar aberto aprender com ele. Li um artigo no site Brain Pickings sobre isso e pensei que essas ideias poderiam ser aplicadas no dia a dia de uma equipe que busca um conflito positivo e produtivo.

As dicas que ele dá sobre como construir um argumento crítico construtivo e gentil podem ser muito úteis quando se debate algo  com o objetivo de realizar um trabalho melhor e mais eficiente. E gentileza cabe em qualquer ocasião, em qualquer momento. Adaptei abaixo uma lista de Dennet que cabe muito bem em várias situações de conflito positivo.

Como fazer um comentário crítico eficaz (e gentil):

  1. Tente re-expressar o argumento de quem você discorda da forma como você entende, de uma forma clara, vívida e justa. Assim, a pessoa vê que você tem empatia e entendeu seu ponto.
  2. Faça uma lista de aspectos da opinião da outra pessoa com os quais você concorda, especialmente se não são apenas senso comum, mas algo relevante para o assunto em pauta.
  3. Mencione sempre algo que você aprendeu ao conversar ou debater com quem você discorda.
  4. Apenas depois de fazer o que foi descrito acima, diga o que você tem para criticar ou discordar da outra pessoa.

Além disso, não custa nada tentar ser assim sempre:

kindness

“Espalhe gentileza ao seu redor como se fosse confete.”

Últimas (boas) conversas de Eduardo Coutinho


coutinho

Desde sexta-feira passada, quando fui ver o novo longa de Eduardo Coutinho lançado na 20ª edição do festival É Tudo Verdade, eu já sabia que escreveria sobre ele aqui no blog. Como em todas as vezes que vejo uma produção do cineasta, terminei de ver o filme e fiquei pensando: como é possível alguém fazer entrevistas tão boas, ainda que com personagens que pareçam não render nem cinco minutos de conversa? Ele tira “leite de pedra”, consegue contar histórias simples, de pessoas comuns como nós, de uma maneira apaixonante. Durante uma hora e meia, um filme composto apenas de depoimentos, consegue prender a atenção e despertar a curiosidade do espectador. Sempre me impressiono com Coutinho e por muito tempo não consigo tirar da cabeça as histórias que ouvi. Infelizmente, este filme foi o último do documentarista que morreu no ano passado, e que deixou essa riqueza toda gravada e com as primeiras marcações feitas.

O novo longa, intitulado Últimas Conversas,  conta histórias de adolescentes que estão cursando o terceiro ano do ensino médio nos colégios públicos da cidade do Rio de Janeiro.  E Coutinho usa, como sua única ferramenta, a conversa. Numa sala vazia e sem cor, apenas com uma porta azul por onde entram e saem os entrevistados, o cineasta extrai deles a essência do que é ser adolescente no background proposto pelo filme. Mas, ele deixa claro que não acredita nesta produção, inclusive diz isso para um de seus entrevistados. E ele diz: “Vou te fazer perguntas sobre sua vida, perguntas bestas. Aí você me conta, pode ser verdade ou mentira. Tanto faz”. Quem acompanha os trabalhos de Coutinho, sabe que é isso mesmo que ele faz e o resultado é sempre inacreditável. Ele tinha o dom da entrevista. Acho que é isso.

Para quem escreve, como eu, acho que é super importante conhecer o trabalho do Eduardo Coutinho e prestar atenção no processo das entrevistas. Tudo bem que muita coisa ele sabe de antemão, pois antes de iniciar as filmagens, a equipe sempre faz pesquisa, pré-entrevistas e faz uma triagem. Mas, ainda assim, ele tira das pessoas as melhores histórias, as melhores emoções e até as “melhores” mentiras. E como os filmes dele mostram sempre a intervenção do cineasta na realidade com as perguntas, comentários e o silêncio do entrevistador, é um prato cheio para quem quer conhecer as ferramentas que ele usa e saber como aplicá-las. O cinema de Coutinho é sempre uma aula.

Como diria Ju Fernandes, na escala de 1 a 5 Let’s Rocks, este longa do Coutinho leva 5 guitarrinhas!

Gastronomia e cultura espanholas na Mansão Hasbaya


la_feria

O final de semana está logo aí e você não tem nada de legal programado pra fazer? Que tal esquecer o sofá e ir prestigiar a quarta edição do  La Feria? Este evento gastronômico e cultural é organizado pelo chef Fernando Lancho, do Gusta Bar para promover a cultura espanhola, na Mansão Hasbaya.

Seis restaurantes e bares da capital montarão barracas no jardim da casa, com alguns dos símbolos da cozinha espanhola como paellas e tapas, cervejas, vinhos e sangrias com preços que variam de R$ 7 a R$ 25. E o melhor: a entrada é franca!

Ah, e não é só isso. O evento reunirá também espetáculos gratuitos de música com gaiteiros galegos, dança flamenca, boleros teatro e workshops de cozinha.

Vai perder?

 

Como anda sua liderança? E a do seu chefe?


Relendo o livro Felicidade S.A., do jornalista e escritor Alexandre Teixeira, me deparei com um conceito bem interessante para o momento atual do mundo dos negócios no Brasil. “Os chefes determinam a maneira como as pessoas passam seus dias e se elas sentem alegria ou desespero, trabalham bem ou mal, são doentes ou saudáveis”. A autoria é de Robert Sutton, professor de administração de Stanford e autor do livro Bom chefe, mau chefe. Segundo ele, o bom líder deve sentir-se culpado até provar ser inocente. “Comece com a suposição de que você precisa ouvir melhor”.

Logo adiante, Teixeira aponta a diferença entre gestor e líder, comentada por Ricardo Guimarães, presidente da Thymus Branding. Segundo ele, o gestor pertence ao mundo concreto e hierárquico da pessoa jurídica (empresa) e o líder acrescenta a esta perspectiva significado, foco nos indivíduos. “O líder é qualquer pessoa na qual outras pessoas confiam em determinado assunto ou circunstância”, afirma. Na opinião de Guimarães, “o fundamento da liderança é a confiança e o do gestor é o poder derivado do cargo”. “Às vezes, coincidem, e isso é bom”.

Motivada por essa leitura, reuni aqui neste post características de bom líder e mau líder, recomendadas pelas amigas e parceiras de equipe Márcia Almeida (sobre os 10 atributos fundamentais do líder de sucesso) e Juliana Fernandes (sobre os 10 erros mais cometidos pelos líderes). Espero que você se inspire.

liderbom_lidermau

 

Artigos na íntegra

10 atributos que todo líder tem que ter, segundo Ram Charan

Os 10 erros cometidos pelos líderes (o link da Revista RH não está mais disponível, por isso, o link recomendado é uma reprodução do artigo original)

 

 

Como anda o cinema em março?


O Oscar 2015 passou e deixou saudade. Tanta, que neste mês de março decidi assistir a outros filmes que concorreram em algumas das categorias da premiação. Da seleção que preparei hoje pra vocês, apenas um não estava entre os títulos mencionados no maior evento de cinema do mundo.  Dá só uma olhada no que achei deles:

SelmaSelma – Uma luta pela Igualdade 

Desde que ouvi a bela canção tema de Selma (que, inclusive, ganhou o prêmio de melhor música), fiquei empolgada para assistir ao filme. Ele não chega a ser uma biografia de Martin Luther King. Na verdade, narra apenas um capítulo da trajetória dele, que envolve o episódio da marcha de Selma a Montgomery, no Alabama, em prol do direito ao voto para os cidadãos negros.

O longa em si é bom, mas não chega a tocar fundo no coração, sabe? Acho que o tema merecia uma abordagem mais elaborada e profunda. Sinto que faltou uma direção boa, que tirasse o melhor dos atores, que pegasse o toque diferencial nas cenas, de forma que levasse mais emoção pra quem estava na poltrona do cinema, assistindo (o que não aconteceu comigo, infelizmente).

Apesar de tudo, acho que vale a pena ser assistido pelo fato histórico e, especialmente, para apreciar os discursos vigorosos feitos pelo grande Martin Luther King.

Curiosidade: O filme gerou polêmica no meio político ao retratar a hesitação do Presidente Lyndon Johnson em declarar apoio à marcha de King. Segundo historiadores, ele era um dos grandes aliados do movimento por direitos iguais.

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 3 guitarrinhas!

 

TeoriaA Teoria de Tudo

Ah, o que falar da Teoria de Tudo senão que ele é um filme lindo demais? E não é só isso. O ator principal Eddie Redmayne, que interpretou Stephen Hawking, acertou em cheio na interpretação, com a doçura na medida certa. Dá pra sentir a entrega dele ao papel e, pra mim, isso o consagrou como o grande merecedor do prêmio de melhor ator.

Diferentemente de quase todas as críticas que li por aí e que não valorizaram a atuação de Felicity Jones, no papel de Jane, eu adorei sua interpretação. Achei quase tão bela e merecedora quanto à de Eddie. A entrega e entrosamento dos dois atores, somada à história impressionante, ao drama da doença e à excelente direção, colocaram este filme como um dos meus tops do ano (sem exageros, gente)!

Pra mim, Teoria de Tudo é um daqueles filmes que você não quer que acabe. Eu mesma poderia assisti-lo por umas 10 horas, sem pestanejar. Então, já sabe, né? Eu super indico!

Curiosidade: Stephen Hawking, após assistir ao filme, enviou um email para James Marsh (diretor) dizendo que, em alguns momentos, ele pensou estar assistindo a si mesmo!

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 5 guitarrinhas!

 

AlicePara sempre Alice 

Delicadeza. Essa é a primeira palavra que penso para definir Para sempre Alice. Ao contrário do que muitos deduzem, o filme não aborda apenas a doença de Alzheimer e sim apoia-se nela para falar sobre perdas.

Sem cair na dramatização exagerada (típica de filmes sobre doenças em geral) a direção de Richard Glatzer e Wash Westmoreland, bem como a atuação da vencedora de Melhor Atriz, Juliane Moore, conduzem o tema da doença e seu progresso de forma contida, racional e verdadeira, características que combinam mais com a personagem principal, que é uma professora universitária muito bem sucedida.

As cenas com os três filhos da protagonista mostram as diversas maneiras que a família tem para lidar com uma doença tão devastadora como o Alzheimer. Pra mim, a qualidade do filme pode ser resumida na cena em que Alice ministra a palestra, já com a doença avançada. O discurso sincero, profundo e tocante dela contrasta com a racionalidade de usar uma caneta marca-texto e organizar as folhas para saber o que já foi dito.

Curiosidade: o diretor Richard Glatzer (que faleceu em 10 de março) sofria de ELA-Esclerose Lateral Amiotrófica (a mesma doença de Stephen Hawking) e não conseguia falar. Durante as filmagens ele se comunicava com o elenco por meio de um aplicativo do iPad  – o “text to speech” – que converte texto em voz.

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 4 guitarrinhas!

 

GolpeGolpe Duplo 

Infelizmente, Golpe Duplo não traz nenhuma surpresa nem nada de novo que eu já não tenha visto em outros filmes. Se você for assisti-lo pensando em encontrar suspense e ação, vai se decepcionar.

Aliás, na categoria suspense, ele não cabe. Não rola aquele momento tenso que a gente quer (e ao mesmo tempo não quer) saber o que vai acontecer. Pode ser que eu já tenha visto muitos filmes desse gênero (eu adoro mesmo!), mas pra mim tudo era muito previsível durante todos os 105 minutos. O melhor do filme é, sem dúvida, a beleza estonteante (e ok, uma boa atuação também) de Margot Robbie. Sem falar, é claro, na presença de Rodrigo Santoro pra matar a saudade (mas não se empolgue, ele aparece por mais ou menos uns 20 minutos apenas).

Curiosidade: Ben Affleck e Kristen Stewart seriam os protagonistas. Affleck se desligou do projeto por conflitos de agenda e Stewart desistiu em seguida.

Na escala de 1 a 5 Let´s Rocks, leva 2 guitarrinhas!

E aí, gostaram? Em abril apareço por aqui com mais dicas e guitarrinhas!

Como fazer um livro


O primeiro exemplar é entregue pelo presidente do Bunkyo (à dir.), Kihatiro Kita, ao cônsul-geral adjunto do Japão, Hiroaki Sano

O primeiro exemplar é entregue pelo presidente do Bunkyo (à dir.), Kihatiro Kita, ao cônsul-geral adjunto do Japão, Hiroaki Sano

Plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Essas são as três coisas que o dito popular manda fazer antes de morrer. De todas elas, a terceira me parece a mais complexa. Veja que a palavra é complexa e não trabalhosa.

No dia 13 de março, foi lançado o livro 60 anos de Bunkyo: Passado, Presente e Futuro, na sede do Bunkyo, na Liberdade, em evento solene com a presença de autoridades e membros da comunidade nikkei. O trabalho da Agência Cadaris foi desenvolver os projetos técnico e gráfico, bem como criar o livro, do recebimento do conteúdo à entrega dos exemplares impressos. Como bem destaca Fred Pimenta, diretor de criação da agência, “este projeto tem um pouco de vários profissionais da nossa equipe”. “Alguns contribuíram com ideias e conceitos, outros colocando as estratégias em prática”, afirma. “O compromisso em fazer um trabalho diferente, que surpreendesse visualmente, foi o nosso norte”.

bunkyo_livro

Mais do que falar como tudo foi feito, do planejamento, etc., acredito ser muito mais útil compartilhar aqui o nosso plano. Agora é só seguir o passo a passo e colocar em prática seu projeto de livro.

bunkyo_kanban

 

Playlist Cadaris: as séries de TV que amamos!


teste-series-tv-topo

Parafraseando aquela atriz  que virou meme: todo dia é dia de série, bebê! Pra galera da Cadaris é mesmo. Quase todos são loucos por seriados e não perdem o (s) seu (s) preferido (s) n-u-n-c-a. Por isso, pedidos pra eles escolherem (ou pelo menos tentarem) três séries de TV que  simplesmente amam. Veja quais foram as escolhidas:

Ana Paula

ana

Balbina

balbina

Bárbara

barbara

Débora

debora

Fred

fred

Guilherme

guilherme

Ju Fernandes

ju-fernandes

Larissa

larissa

Maris

maris

Maurício

mauricio

Rapha

raphael

Renata

renata

Ricardo

ricardo

Sara

sara

5 frases são suficientes em um e-mail


As pessoas demoram a responder seus e-mails? Isso pode estar acontecendo porque você manda textos longos demais. Como já mencionei aqui, e-mails eficientes e práticos são uma grande prioridade em meu dia a dia de trabalho. Por isso, achei muito interessante uma matéria publicada no site Mashable, por seu parceiro The Muse, falando que 5 frases (no máximo) são suficientes para uma comunicação eficiente na maioria dos e-mails.

Claro que comprometer-se a escrever e-mails mais curtos e eficientes já é um passo importante, mas o fato de definir um número de frases pode nos ajudar a visualizar claramente um limite de tamanho. Em 5 frases ou menos é possível transmitir a maioria das mensagens importantes para qualquer pessoa, por mais ocupada que ela seja. Óbvio que quanto mais curtas e diretas as frases, mais eficazes elas podem ser.

O desafio por trás dessa ideia é comunicar-se de forma eficaz e objetiva sem deixar a educação de lado. Segundo o The Muse, estas são dicas úteis para conseguir aplicar a técnica das 5 frases em seus e-mails: evitar floreios nas frases e trechos introdutórios desnecessários; ir direto ao ponto; eliminar repetições e palavras desnecessárias ou redundantes. Outras dicas que podem valer a pena estão neste meu post anterior sobre e-mails: Por um mundo com e-mails mais eficientes.

 

Compras ao alcance de um clique


cloud3

Quem nunca fez uma compra on-line que atire a primeira pedra! Este comportamento parece realmente ter se tornado comum na vida dos brasileiros e a cada ano os números de e-commerce aumentam ainda mais.

Comparando os anos de 2013 e 2014, o crescimento do consumo pela internet foi de 24%, segundo dados do WebShopper Brasil reunidos em um infográfico da Infobase Interativa. No último ano foram 51,5 milhões de consumidores realizando compras online.

Veja abaixo o infográfico que mostra todo o panorama do e-commerce no Brasil.

 

Fonte: Proxxima