• .
  • .
  • .
  • .
  • .

As pastas perderam o trono para as… mochilas!


volta_do_moletom_ft02

A tragédia já estava anunciada há muito tempo, mas quase ninguém reparou – ou não quis reparar. As pastas foram destronadas pelas mochilas.

As pastas de couro, muito usadas no passado por grandes executivos, perderam espaço para bolsas parecidas com as que se usam no colégio. A principal razão para o aumento da popularidade das mochilas em ambientes corporativos é a versatilidade dos novos modelos, que os tornam altamente atraentes nessa era digital em que é preciso estar sempre com as mãos livres para acionar os mais diversos aparelhos.

Para exemplificar, nos Estados Unidos, até o mês de maio, as vendas de mochilas para maiores de 18 anos subiram 33%, em comparação com mesmo período no ano anterior. De acordo com informações de estudo do NPD Group, as vendas entre as mulheres cresceram 48% e alcançaram US$ 311 milhões; entre os homens, a alta foi de 23%, para um montante de US$ 385 milhões.

Com tantos acessórios tecnológicos à disposição, os profissionais que usam esses itens demandam rapidez e praticidade para acessá-los a qualquer momento. Em vez de enfiar seus smartphones, tablets e laptops de qualquer jeito em uma pasta, eles estão preferindo as mochilas.

É o fim das pastas?


Calma. Antes de fechar a tampa do caixão das pastas de trabalho, saiba que elas ainda respiram e encontram alguns que preferem mantê-las ali, bem próxima ao coração. Isso porque nem todo ambiente de trabalho é compatível com uma mochila

Para os profissionais que gostam de causar uma boa impressão em reuniões, apresentações e eventos, as pastas continuam em alta.

 

Fonte: Meio & Mensagem

 

Termos de uso: você concorda mesmo?


Quando você começa a usar  uma rede social, sempre lê todos os termos de uso antes de aceitar e seguir em frente, certo? Errado. Na verdade, a grande maioria das pessoas ignora a leitura desse regulamento, que é praticamente um contrato entre o usuário e a rede social que ele está concordando em usar a partir daquele momento. Mas, mesmo sem ler, se você cria um perfil na rede social e a utiliza frequentemente, automaticamente aceita todas as regras e condições do site em questão.

Veja abaixo uma lista de algumas cláusulas inusitadas e não muito faladas por aí, mas que estão presentes nos termos de uso nas redes sociais mais populares:

Facebook

- A rede social tem permissão para usar suas fotos e vídeos para o que eles quiserem, inclusive propaganda. Eles têm a liberdade de usar suas imagens e também de cedê-las a terceiros. A regra é semelhante para o Twitter, Google + e Instagram.

- Você tem obrigação de manter seus dados de contato atualizados, segundo eles por motivos de segurança. Não é informado prazo para mudanças de e-mail, mas se você modificar seu celular, é necessário alterar essa informação no site em até 48 horas.

Twitter

-Você autoriza o Twitter a saber como você chegou até ele e a rastrear seu IP para obter diversas informações sobre sua navegação, como páginas que você visita, qual browser você usa, termos de busca pesquisados, operadora de celular e, caso você permita, até sua localização via GPS. O Google tem regras parecidas.

Instagram

- Segundo as regras desta rede social, não apenas é proibido postar nudez, mas também imagens e conteúdo sexualmente sugestivo. Incluem-se nessa restrição as hashtags que se refiram a partes do corpo relacionadas à sexualidade ou palavras que remetam a práticas sexuais.

- Se algum dia você tiver uma ideia qualquer e enviá-la como sugestão ao Instagram, eles têm o direito de utilizá-la e não pagar nada a você por isso. Sim, até isso está previsto nos termos de uso da rede.

LinkedIn

- Você não pode adicionar alguém que não conheça de fato, na vida real. Isso está previsto nas regras, mas muitas pessoas deixam isso passar despercebido. Afinal, as perguntas-filtro que vêm antes de adicionar alguém estão lá por um motivo, que é precisamente deixar claro de onde você conhece as pessoas.

- Ninguém pode utilizar o serviço dessa rede social profissional para divulgar prostituição, mesmo se esse tipo de serviço/profissão for legalmente permitido no local onde você mora.

- Você não pode mentir. Parece óbvio, mas a veracidade das informações associadas ao seu perfil está prevista nos termos de uso do LinkedIn. Portanto, pense bem antes de distorcer a verdade, pois, além de ser moralmente questionável e negativo para sua profissão, essa prática viola as regras desta rede social, bem claras nesse aspecto.

Fonte: Mashable; Termos de uso das redes sociais

Pra quê tomada?


carrega_01

A geração dos smartphones está sempre atrás de tomada e um dos itens que não pode ser esquecido em casa é o carregador de celular. A carga da bateria não aguenta mais que um dia nas mãos dos adeptos a redes sociais, mensagens instantâneas e jogos. E para não ficar sem bateria durante os trajetos, tem que carregar o aparelho diversas vezes durante o dia, onde quer que você esteja.

Por isso, os carregadores portáteis não demoraram a chegar ao mercado. Algumas marcas internacionais, como a Sony e a Nokia, já disponibilizam seus carregadores móveis. E agora, uma empresa startup de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, entrou para ramo com uma linha inovadora de carregadores portáteis e venceu o Acelera Startup, promovido pela Fiesp, no quesito melhor ideia.

São três opções de carregadores. Uma para levar no bolso e outras duas para atender ao público de restaurantes, bares e grandes eventos.

O Mini pode ser levado no bolso e usado a qualquer momento, onde estiver. Tem apenas 69 gramas e é considerado ecologicamente correto com baterias de Íons e Lítio de alto desempenho. O Unit, apesar de fácil manuseio, é indicado para restaurantes, festas e grandes eventos, e carrega até dois aparelhos de qualquer marca ao mesmo tempo. A bateria dura até 12 horas. E o modelo que ganha mais destaque é o Box, que tem duração de até 22 horas e tecnologia exclusiva da empresa. Ideal para ambientes em que é difícil achar uma tomada, como em grandes feiras, exposições e aeroportos.

imagem_MINI

UNIT_02

BOX_01

 

Além disso, é possível personalizar os carregadores. Se eles estarão disponíveis em um bar, podem vir em formato de latinha, por exemplo. Os dispositivos podem ser usados em ações promocionais também, com o logo da sua empresa estampado.

especiais_01

Conheça mais sobre os carregadores portáteis brasileiros no site: carregamais.com.br

Pare e tire um cochilo


COCHILO_01

Nós a sabemos que podemos encontrar de tudo em São Paulo, a cidade que não dorme. Opa! Dorme sim! Pelo menos tira um cochilo durante o dia. O primeiro cochilódromo da cidade reabriu as portas em um novo local, antes na Rua Augusta, agora no Centro. A proposta é oferecer um lugar no meio do caos para parar, repor as energias e, depois de meia hora, 40 minutos ou mais, retomar as atividades.

O Cochilo se baseia no conceito de que descansar um pouco entre as atividades diárias pode melhorar a produtividade, o humor e a memória. Por isso, organizou um espaço aconchegante e privativo, onde é possível reservar um tempo para o cochilo. O cliente determina o tempo que deseja cochilar e não precisa se preocupar em perder a hora, já que para despertá-lo a cabine vibra e as luzes piscam. E, além de tudo, antes de ir dá para tomar um cafezinho. Pronto, está renovado para continuar enfrentando o dia.

As cabines são privativas, portanto, não tem com o que se preocupar. Os pertences podem ficar lá dentro e a tranca é por dentro. Tudo na cabine é feito para proporcionar conforto: a cama tem um formato especial para o relaxamento; a iluminação tem propriedades relaxantes, mas é possível optar por ficar no escuro total; fones de ouvido e trilhas sonoras especiais estão disponíveis; tem cobertor e a promessa de temperatura ambiente agradável.

Quem estiver passando pela Praça Antônio Prado, no centro de São Paulo, pode conferir. Para cochilar 15 min, R$10. Meia hora, R$12. Para quem quiser um pouco mais, 45 minutos de cochilo sai por R$15 e uma hora, o máximo, é R$20.

Para saber mais sobre o Cochilo, acesse o site: cochilo.com.br

O tempo passa, os álbuns ficam


Boa música é atemporal. Mas o tempo passa e as pessoas se vão, ficando para trás apenas o legado que dificilmente será esquecido por várias gerações. Recentemente, com o falecimento de Tommy Ramone, o último dos Ramones, circulou na internet a imagem de um dos álbuns da banda gradativamente perdendo seus integrantes.

Essa e outras imagens melancólicas de álbuns clássicos da história do rock e da música pop vêm do Tumblr Live! I See Dead People e chamam a atenção pela qualidade das imagens e pela nostalgia que trazem, especialmente para os fãs. Veja abaixo algumas destas capas, para ficar com ainda mais saudade:

The Doors, Morrison Hotel

 

The Beatles, Abbey Road

 

The Who, Odds & Sods

 

George Harrison, All Things Must Pass

 

Nick Drake, Bryter Byter

 

Nirvana, Smells Like Teen Spirit

 

Jeff Buckley, Grace

 

Serge Gainsbourg, Aux Armes Et Caetera

 

Elvis Presley (s/t)

 

 

Abrigo para os “orkuteiros”


VKontakte

E não é que o Google, sem querer, deu uma forcinha para uma rede social russa ganhar espaço? Com o fim do Orkut, mesmo com opções como o Facebook e o Google+, muitos usuários brasileiros têm migrado para a VKontake, a maior rede social da Rússia. Provavelmente o motivo seja a busca por serviços parecidos aos do Orkut, como os fóruns de discussões, por exemplo.

Segundo dados da própria VK, desde o anúncio do encerramento da rede social do Google, cerca de 340 mil brasileiros já criaram seus perfis na rede. Mas ainda assim, as proporções nem se aproximam as do FB, que abriga 1,28 bilhões de usuários, enquanto a rede russa alcança 260 milhões registrados.

Por causa da atenção que a VK tem ganhado no Brasil, a empresa já anunciou novidades. Está disponível em português BR, além de vários outros idiomas, e já treina o seu suporte para atender em português.

É uma rede simples de usar e tem aparência similar ao Facebook. Aliás, é possível fazer o cadastro usando a conta do FB. Vale a pena o cadastro para conhecer: vk.com

prof_vk_1

news_vk_1

Monarquia Facebook


shutterstock_118828141

Na semana passada, eu estava na área administrativa da fan page da Cadaris buscando telas para um treinamento quando quase caí da cadeira. Entre as métricas de Publicações, apareceu uma aba Top Posts From Pages You Watch. Lá, estava um botão Adicionar Páginas (Para Acompanhar) onde pode-se escolher livremente as páginas que se quer “vigiar”. O Face te dá uma análise dos posts de maior engajamento das páginas selecionadas. Ou seja, sem o consentimento de ninguém, ele compartilha dados entre concorrentes.

É bem verdade que os dados que este recurso mostra “teoricamente” são públicos, pois podemos entrar individualmente em cada fan page do nosso interesse e buscar na raça os posts de maior engajamento. Porém, isso é bem diferente do que acessar um ranking em tempo real, de mão beijada, sem o menor esforço e sem a autorização do administrador da página.

Chamei imediatamente a gerente responsável por mídias sociais na Cadaris para fazermos testes e falarmos com o Facebook. Entre as páginas que administramos seguimos umas às outras para ver se ao menos receberíamos uma notificação de que determinada página nos seguia. Mas a notificação informa apenas que Outra Página adicionou sua fan page neste recurso. Ao clicar na notificação, aparece a tela de Adicionar Páginas Para Acompanhar e a Página que gerou a notificação aparece sempre entre as 5 primeiras sugestões do Facebook.

Quebrar a privacidade do usuário e ultrapassar a fronteira do “fair play” não é novidade para o Facebook. A empresa está sendo investigada no Reino Unido por manipular a timeline de 700 mil usuários para um estudo, sem o consentimento deles. A plataforma manipulou a exibição de posts positivos e negativos no feed dos participantes da pesquisa (que desconheciam que integravam um estudo) para provar que publicações positivas levam usuários a postar positivamente e negativas, negativamente.

Indignei.

 

Links de interesse

Facebook será investigado após manipular timeline de quase 700 mil usuários

Entenda como funciona o feed de notícias do Facebook

 

Botão Adicionar Páginas

Botão Adicionar Páginas

Ranking dos Top Posts das Páginas a Acompanhar

Ranking dos Top Posts das Páginas a Acompanhar

Notificação de que Outra Página adicionou a fan page ao recurso

Notificação de que Outra Página adicionou a fan page ao recurso

Página que adicionou a fan page ao recurso aparece sempre entre as 5 primeiras páginas sugeridas pelo Facebook

Página que adicionou a fan page ao recurso aparece sempre entre as 5 primeiras páginas sugeridas pelo Facebook

 

Dia mais produtivo com música na veia


meino-ouvindo-musica

“Esqueci meus fones de ouvido em casa. Acho que meu dia de trabalho não vai render tanto…”. Se você é daqueles que mal consegue trabalhar sem o som de uma boa música, já deve ter passado por isso algum dia. Afinal, qual é a relação da produtividade com a música?

Tudo. De acordo com a ciência, quando você ouve música, uma parte do seu cérebro chamada de núcleo accumbens é ativada. Essa região comanda a liberação de dopamina, um neurotransmissor chamado de “químico do prazer” – é a mesma substância liberada quando você come seu prato preferido ou quando você encontra alguém de que gosta. Veja dicas de como usar a música a favor do seu trabalho!

Termine tarefas chatas rapidamente

Um estudo publicado pela revista Neuroscience of Behavior and Physiology notou que a habilidade de uma pessoa de reconhecer imagens, letras ou números aumentava quando ela ouvia rock ou música clássica. Um teste, feito numa linha de montagem, confirmou que funcionários que ouviam música cometiam menos erros. Então, uma boa sugestão é apelas para Edvard Grieg quando for limpar a caixa de e-mails.

Tensão lá embaixo

Ouvir o nosso gênero preferido de música durante as horas mais críticas do dia ajuda a diminuir a tensão, independente de qual seja o tipo de som que você escolha.

Em busca de concentração

Quando você ouve canções que possuem letras com as quais se identifica, seu cérebro pode liberar mais dopamina. Muita dopamina faz com que você perca o foco rapidamente. Então, se a intenção for mais concentração, opte por músicas já conhecidas ou instrumentais, sem voz.

Criatividade, por onde anda você?

Segundo uma pesquisa do Journal of Consumer Research, escutar um barulho que não caracteriza silencia absoluto, mas que também não é música, ajuda a elevar o nível de criatividade. De acordo com os cientistas, o barulho ideal é o som de um café. Use a ferramenta Coffitivity, que simula bem este ambiente.

Fonte: Galileu

O Instagram e a superação de distúrbios alimentares


instagram

Para quem não tem ou nunca teve distúrbios alimentares, é muito difícil entender o desafio de lidar com esse problema. Comida pode parecer algo extremamente banal para a maioria das pessoas, mas para quem tem uma relação complicada com a alimentação, pode ser um problema sério e constante. Compulsão, anorexia e bulimia são problemas que atingem especialmente garotas na fase da adolescência e devem ser tratados com acompanhamento médico e psicológico. Muito já foi discutido sobre sites e redes sociais que são prejudiciais para quem sofre desses distúrbios. Mas, como tudo tem seu lado positivo, muitas garotas têm encontrado também no Instagram uma forma de criar uma relação saudável com sua alimentação, espalhando exemplos de superação e de cura.

Em uma realidade em que a pressão pelo ideal de beleza ainda é constante, não é fácil ter uma relação saudável com o ato de comer. Aceitar seu próprio corpo e suas limitações é a chave superar as exigências de um padrão estético muitas vezes irreal e inatingível para a maioria das mulheres. Felizmente, o Instagram tem sido tomado por uma cultura de saúde e prazer na alimentação, na qual várias garotas estão focando sua tendência obsessiva em curar-se e em criar pratos saudáveis e esteticamente atraentes, para inspirar a si mesmas e a outras pessoas que buscam redimir sua relação negativa com as refeições.

Em  vez de barriga negativa e thigh gap (aquele espaço entre as coxas), surgem pratos belíssimos, saudáveis e cuidadosamente decorados, criados por perfis como @livingthehealthychoice ou @healthforhappy, que têm milhares de seguidores e são administrados por garotas que, na maioria dos casos, superaram problemas sérios de alimentação. Pouco a pouco começa a predominar a cultura da saúde e do bem estar, inclusive reforçada por uma certa ridicularização de quem busca a estética pela estética. Um exemplo disso é o perfil @youdidnoteatthat, que reproduz fotos de pessoas extremamente magras ou saradas (especialmente celebridades) que tiram fotos com comidas super calóricas, mas que com certeza não comeram o alimento que está na foto.

Sério, você não comeu isso!

Sério, você não comeu isso!

Bons exemplos são sempre bem vindos, especialmente para pessoas muito jovens que precisam de ajuda para ter uma relação melhor consigo mesmas e com sua saúde. A nova tendência de estilo de vida e saúde que tem tomado conta do Instagram pode ser uma luz no fim do túnel para muita gente.

Fonte: Buzzfeed e Instagram

O ICQ está de volta!


icq_new

Para a felicidade dos nostálgicos e dos amantes dos apps sociais, o ICQ – famoso programa de mensagens instantâneas do final da década de 90 e início dos anos 2000 – está de volta! E agora, entra com tudo no mundo dos apps para smartphones.

Apesar de estar ativo desde 2012, só agora ganhou nova atualização que o aproxima de aplicativos similares, como o WhatsApp, Line, Skype, Viber etc. A nova versão oferece ao usuário chamadas de vídeo e voz gratuitas, mensagens de texto instantâneas e o compartilhamento de foto e vídeo.

Um dos diferenciais do ICQ é a possibilidade de enviar SMS de graça mesmo para contatos que não possuem o app. As respostas vão aparecer de volta na janela de bate-papo do ICQ, e não no aplicativo de SMS. Bom, né? O app também possui integração com o Facebook e GTalk, facilitando o contato com os amigos também desses serviços.

Apesar do aplicativo funcionar via número de telefone, como o WhatsApp, dá também para usar o ICQ no desktop, como antigamente. E é a mesma conta que você vai usar no seu smartphone. O app já está disponível para sistemas Android, iOS, Windows Phone e BlackBerry.

A instalação é similar com a do Whatsaap. É só baixar o aplicativo disponível na loja de Apps do celular. Quando iniciar, será preciso cadastrar o número do telefone e um código enviado via SMS na hora do cadastro. Basta inserir este código no campo indicado pelo aplicativo e pronto, é só começar a usar. Segundo o site Mcworld Brasil, a nova versão liberada recentemente já alcançou o posto de app mais baixado na App Store Brasil, loja de aplicativos da Apple.

Vale a pena experimentar!